Público de baixa renda recebe assistência jurídica gratuita

Pela primeira vez em Jundiaí, o projeto “DPU para Todos”, da Defensoria Pública da União, começou os atendimentos de assistência jurídica gratuita nesta quarta-feira (04), no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Novo Horizonte. A iniciativa, voltada a pessoas com renda familiar mensal de até R$ 2 mil, chegou ao Município por meio de parceria da Prefeitura, por meio da Unidade de Assistência e Desenvolvimento Social.

Os atendimentos foram realizados ao longo do dia no Cras Novo Horizonte nesta quarta (04) e seguem nesta quinta (05) e sexta-feira (06), das 8h às 17h, no Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas), que fica na rua Benjamin Constant, 446, Centro. Os interessados nos serviços, como auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, benefícios assistenciais, contratos habitacionais, renegociação de dívidas e saúde, devem levar comprovante de renda e podem comparecer aos locais de realização sem a necessidade de agendamento.

Morador do Novo Horizonte, José Ribamar da Conceição, 62 anos, aproveitou a manhã desta quarta-feira (4), para procurar o serviço em busca de auxílio para uma solução junto ao INSS, já que, apesar de liberado pelos médicos, não consegue trabalhar por conta das dores que sente no joelho e no fêmur, ocasionadas após a quebra em queda de escada. “Estava desempregado em 2017 e acabei me acidentando. O auxílio doença foi recebido até o mês de setembro. Agora estou sem nada e não consigo trabalhar”, contou. O homem foi encaminhado para o Juizado Especial Federal já com hora e dia agendados.

Segundo a gestora da Unidade de Assistência e Desenvolvimento Social, Nádia Taffarello Soares, a vinda do projeto para Jundiaí é motivo de comemoração. “No Estado Democrático, ter acesso à justiça é um dos pilares fundamentais. Nesse sentido, essa parceria entre a Prefeitura e a Defensoria Pública da União visa à garantia e efetivação de direitos, pensando especialmente na população em situação de vulnerabilidade, daqueles que não dispõem de recursos financeiros para contratação de um advogado”.