Clínica da Família e UPA Vetor Oeste têm números recordes

Neste dia 1º de dezembro, a Prefeitura de Jundiaí comemorou um ano do início de funcionamento do modelo de atendimento em Saúde resolutivo e humanizado formado pelo complexo da Clínica da Família Novo Horizonte e Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24H) Vetor Oeste.

O período marca a ampliação no acesso à Saúde para a região, que conta com cerca de 140 mil habitantes, e acumula premiações e reconhecimento ao Município pela prestação de serviço de excelência, com até 90% de resolutividade e oferta de atenção básica (Estratégia de Saúde da Família), urgência e emergência Clínica e Pediátrica, exames de análises clínicas, raio-x, ultrassom e eletrocardiograma, além de médico ortopedista.

“A Saúde é um dos pilares da nossa gestão e a implantação da Clínica da Família com a UPA 24H Vetor Oeste é um marco para Jundiaí. Garantir o atendimento para a população em atenção básica, promoção da saúde e urgência e emergência, de forma rápida, próxima de sua residência e com disponibilidade de realização de exames no mesmo lugar proporciona, além de comodidade, rapidez. Essa é uma região distante do Centro cerca de 20 km”, explica o Prefeito Luiz Fernando Machado, lembrando ainda que uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) conta com base no complexo, reduzindo em 70% o tempo de espera entre o acionamento e a chegada do equipamento.

Os resultados conquistados pelo modelo implementado, acrescidos dos programas ‘Posso Ajudar’ e Guardião da Saúde’, se transformaram em prêmio no Smart City Business Brazilian Congress, em São Paulo, no mês de julho, como iniciativa inovadora e resolutiva em saúde pública. O reconhecimento também aconteceu na Câmara de Estudos e Debates Estratégicos (CEDES), em Brasília, e na Câmara de Deputados Federal – sendo apontada como opção para implementação nos prédios construídos para abrigar Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) no Brasil, que estão paralisados por falta recursos -. O complexo também tem sido visitado por secretários de Saúde da Aglomeração Urbana de Jundiaí (AUJ) e da Diretoria Regional de Saúde de Campinas.

 

Em números

Segundo levantamento realizado pela Unidade de Gestão de Promoção de Saúde (UGPS), na comparação entre os serviços prestados pela antiga UBS para a Clínica da Família, o número de atendimentos por demanda espontânea e acolhimento cresceu de 147 para 2.339 por mês (1.500% de aumento); o atendimento odontológico também passou de 386 para 1.564, registrando 405% de aumento. A atenção à saúde da mulher registrou aumento de 239% (165 para 394), saúde da criança cresceu 118% (219 para 258), atendimentos de enfermagem ampliou 162% (1383 para 2.245) e quase dobrou o número de procedimentos – de 4,3 mil/mês para 8,3 mil/mês.

Desenhada para realizar 9 mil atendimentos médicos/mês, a UPA 24H Vetor Oeste superou em 22% a meta em julho, com 11 mil atendimentos/mês. Em um ano, a soma contabiliza 110 mil atendimentos médicos, 253 mil procedimentos de enfermagem e 82 mil exames. Essas são pessoas que deixaram de buscar outros equipamentos da região central para ser atendidas próximas de casa.

“O modelo implantado pela Prefeitura de Jundiaí está chamando a atenção nacionalmente pela resolutividade e os dados foram apresentados em Audiência Pública da Comissão de Desenvolvimento Urbano ‘Tecnologia em desafios urbanos, governança digital e saúde’. São situações de destaque para equipamento que ainda não recebe custeio federal”, explica o gestor da Promoção da Saúde, Tiago Texera.

Somente no custeio da UPA 24H Vetor Oeste, a Prefeitura de Jundiaí investe R$ 1,2 milhão por mês, sem qualquer recurso Federal, que é devido pelo porte do equipamento. “A UPA 24H Vetor Oeste, deveria estar recebendo – desde a sua inauguração -, R$ 175 mil/mês do Ministério da Saúde. Esse aporte tem condições de ser ampliado para R$ 216,5 mil de custeio, além do mesmo valor como incentivo, perfazendo R$ 433 mil/mês, devidos pelo MS à Jundiaí”, completa o gestor.

O sistema será ampliado para mais bairros da cidade como Vila Hortolândia e Ponte São João. Ambos têm previsão de atendimento de 9 mil consultas por mês e terão atendimento 12 horas com custeio do Município.