Alunos de EMEB do Jardim do Lírio produzem revista

Aprender brincando foi a receita de sucesso aplicada pela EMEB Profa. Dina Rosete Zandona Cunninghan, no Jardim do Lírio. Um total de 235 alunos de 3 a 6 anos, de 11 salas de aula da unidade, foram os protagonistas de um projeto pedagógico que, neste sábado (30), foi encerrado e virou realidade no formato da revista Dina.

Kelly Trevisan, coordenadora da EMEB, lembrou que durante todo ano os alunos se empenharam no projeto pedagógico “Assim me contaram, assim ouvi dizer”, que faz parte do programa Escola Inovadora, da Prefeitura de Jundiaí. A iniciativa dos alunos é focada na literatura da tradição oral, mas reúne também brincadeiras e comidas típicas. De forma lúdica, os estudantes entraram em contato com textos do Brasil e de outros países, como Japão, Itália, Israel, Holanda e Peru. A garotada se deliciou com os textos que leram.

“Cada país despertou experiências variadas nos estudantes, como o prato que se come naquele local e os jogos mais comuns”, explicou Kelly. “Queríamos que as crianças crescessem culturalmente e aprendessem que há povos e culturas diferentes. Estamos terminando o ano com muito orgulho. O resultado final nos satisfez, pois temos alunos falando da lhama do Peru, do sushi comido no Japão e da tarantela cantada na Itália”, emendou a coordenadora, ressaltando que foi trabalhado um aspecto importante: o “você sabia que…”.

Na revista Dina, as crianças escolheram os textos, fotos e os vídeos de suas atividades ao longo do ano gravados no YouTube. Estes vídeos podem ser acessados pelo celular dos pais que usarem o QR Code publicado em páginas da revista. “Ela foi uma experiência prazerosa e que também mobilizou a direção da escola, professores, funcionários e os pais dos alunos. Tudo foi feito para os estudantes, que literalmente levaram a lição para casa”, finalizou Kelly.

O aluno Pedro Félix Cabrera, de 3 anos, foi um dos envolvidos no projeto. Sua mãe, Denise, disse que antes da atividade o menino era disperso, mas com o trabalho feito na EMEB ficou mais participativo e sociável. “Este é um modelo de escola do futuro. Todos os colégios tinham que ser assim. Esta mistura de arte e cultura desperta vontade de se obter conhecimento”, contou Denise, que ainda lembra com bom humor das atividades com massinha de modelar e tinta de Pedro, presentes nas mãos e no uniforme do garoto quando ele chegava em casa.

 

Herói japonês e Mar Morto

Otávio de Faria Cayrer, de seis anos, adorou brincar e aprender com o projeto pedagógico “Assim me contaram, assim ouvi dizer”. “Lembro do Momotaro (herói popular do folclore japonês), que é o menino que nasceu do pêssego, e de quando a professora falou de Israel. Tem ainda do ‘kibi dango’, o doce japonês que deixa a gente forte, e o Mar Morto, que é muito salgado. Adorei ajudar a fazer a revista”, completou o aluno da EMEB do Jardim do Lírio.