HTTP/3: o que deve mudar para o usuário com o novo protocolo

A Coudflare, que é uma das principais empresas de distribuição de conteúdo e serviços de segurança da internet, anunciou recentemente que está oferecendo suporte ao novo protocolo HTTP/3 para todos os domínios que fazem parte dos seus serviços. Você pode até mesmo não saber ao certo o que essa sigla significa ou sua função, mas com certeza já deve a ter notado na barra de endereços do seu navegador.

Ao acessar sites em geral, utilizamos as tradicionais URL ou o que chamamos de endereço do site. O HTTP, que significa Protocolo de Transferência de Hipertexto, precede esse endereço, vindo acompanhado atualmente do código “://”, que nos remete ao HTTP/2. Isso ocorre, por exemplo, em um endereço qualquer de nosso site: https://www.jr.jor.br/category/geral/. Tudo que vem antes desse código é o protocolo utilizado para fazer com que um site chegue até a sua tela.

Além deste, existem muitos outros protocolos, a exemplo dos de criptografia, como o SSL/TLS. Este, por sua vez, é responsável por garantir a segurança de dados sensíveis, sendo comumente utilizado por bancos, lojas online e cassinos online. Uma dica, aqui, é sempre verificar se os sites em que você precisa fornecer seus dados possuem protocolos de criptografia, o que pode ser conferido, no caso das plataformas de jogos de azar, verificando a lista com todos os cassinos online do Brasil que são seguros e confiáveis.

E o que muda com o novo protocolo?

O HTTP/3, terceira versão do protocolo, promete conexões mais velozes e maior segurança de dados e na comunicação entre os clientes (navegadores) e servidores. De acordo com especialistas, um dos motivos que resulta em um melhor desempenho com o novo protocolo é a forma como os dados trafegam entre os clientes e o servidor.

O HTTP/3 utiliza o protocolo QUIC (Quick UDP Internet Connections), que foi desenvolvido pelo Google em 2012 e obteve resultados de latência muito inferiores ao protocolo TCP, utilizados atualmente pelo HTTP/2. Além disso, o HTTP/3 foi projetado para suportar no novo protocolo de criptografia TSL 1.3, que oferece mais segurança na comunicação.

O que ocorreu, na verdade, foi uma incorporação dos benefícios do TCP com a velocidade UDP, já que o QUIC é capaz de negociar os parâmetros de comunicação (inclusive de segurança) mais rapidamente.

Outra informação relevante é que o pleno funcionamento do HTTP/3 depende dos navegadores de internet, que precisam suportar o novo protocolo. Só assim será possível tirar proveito dos benefícios anunciados. Até agora, apenas o Google Chrome Canary, versão experimental no Chrome, possui o suporte necessário para operar o HTTP/3. E, ao que tudo indica, o Firefox deve ser o próximo a realizar a atualização. Outros navegadores também devem adotar o novo protocolo em breve.

Os clientes da Cloudflare, por sua vez, precisam habilitar o suporte HTTP/3 no painel de controle dos seus domínios. O novo recurso, é preciso ressaltar, não prejudica os usuários que não possuem um navegador que suporte apenas o HTTP/2. Estes continuarão a acessar o site normalmente.

Principais recursos oferecidos no HTTP/3

É possível verificar, abaixo, alguns dos principais recursos que serão oferecidos pelo HTTP3.

● Tempo de estabelecimento de conexão drasticamente reduzido
● Melhor controle de congestionamento
● Multiplexação sem bloqueio de linha de cabeçote
● Correção de erro continua
● Migração de conexão
O HTTP/3, anteriormente conhecido como HTTP-over-QUIC, fica disponível em uma lacuna muito inferior ao que foi possível verificar entre as duas primeiras versões do protocolo HTTP. Foram 16 anos de espera entre o lançamento do HTTP/1.1, que veio à público em 1999, e o HTTP/2, que é o protocolo padrão hoje em dia, lançado em 2015 e que foi revolucionário ao trafegar dados de maneira binária, de forma mais compacta e leve.