HU faz alerta sobre câncer de mama

O câncer de mama é segundo tipo que mais acomete brasileiras, representando em torno de 25% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino. Para o Brasil, foram estimados 59.700 casos novos de câncer de mama em 2019, com risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres.

O médico mastologista do Hospital Universitário, João Bosco, lamenta que o câncer de mama seja lembrado somente no mês de outubro. “É importante a paciente cobrar de seu médico o exame de mamografia. A mulher tem que se empoderar da necessidade de cuidar da mama dela”, destaca ele.

Adriana Felix ministrará a palestra “Se toca, menina”, dia 15

As atividades alusivas à data na Instituição terão seu ponto alto no dia 15, quando ocorrerá a palestra “Se toca, menina”, com Adriana Felix. Ela é blogueira e foi diagnosticada com câncer de mama aos 34 anos, realizou 16 quimioterapias, 35 radioterapias e hoje curada usa sua rede social e participa ativamente de ações dentro de hospitais, oficinas de beleza e leva para as mulheres que estão passando pela mesma coisa uma palavra de encorajamento, de força e ânimo.

Outras ações como a distribuição de fitas cor de rosa e degustação de brigadeiros vão completar a programação do dia. A palestra começa às 9h no anfiteatro do Hospital Universitário.

 

Jundiaí

Silencioso, o câncer de mama, acometeu 31 mulheres, entre janeiro a agosto de 2019, atendidas no Ambulatório de Saúde da Mulher da cidade. O Município oferece atendimento integral contra a doença, com diagnóstico e tratamento realizados nos serviços municipais. No entanto, mensalmente, sobram mais de 600 vagas do exame de mamografia, que não são realizados.

“Entre o diagnóstico até o início do tratamento, Jundiaí atende às diretrizes do Ministério da Saúde, cumprindo o prazo máximo de 60 dias. Outro ponto importante a ser destacado é o acesso, já que a solicitação dos exames de mamografia podem ser feitos por enfermeiros e médicos da Atenção Básica, no entanto, nem todas as mulheres buscam o serviço. O exame é o principal caminho para o diagnóstico”, comenta o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde, Tiago Texera.