Gestores discutem o Trem Intercidades

A viabilidade de implantação de duas linhas de trem que beneficiarão Jundiaí e as outras cidades da Aglomeração Urbana de Jundiaí (AUJ) foi assunto, nesta quinta-feira (10), da primeira reunião de trabalho de gestores jundiaienses com representantes da Secretaria de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Uma das linhas é um TIC (Transporte Intercidades), com trilhos a serem construídos, trens novos e confortáveis, três paradas previstas – São Paulo (Barra Funda), Jundiaí e Campinas – e 102 km de extensão. A outra envolve veículos de serviço parador (trem convencional), ligará Jundiaí a Louveira, Vinhedo e Valinhos, estará integrada à linha 7 Rubi, da CPTM, em Francisco Morato, e terá 65 km e nove paradas.

As novidades fazem parte de um projeto de Parceria Público-Privada (PPP) encabeçado pelo Governo do Estado de São Paulo. O total estimado de investimentos nas novas linhas é de R$ 7 bilhões e a concessão será por um período de 30 anos. Pelo TIC, projeta-se que o deslocamento de São Paulo a Jundiaí dure 30 minutos e o da Capital a Campinas, uma hora.

Segundo o gestor de Governo e Finanças, José Antônio Parimoschi, na reunião inicial do grupo houve a apresentação do projeto de PPP ao prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, no dia 19 de setembro deste ano. “Trata-se de uma proposta estruturante e importantíssima para nossa cidade. Se viabilizada, será um modal extremamente econômico e que trará muitas potencialidades para a Região”, revelou. “Agora, precisamos avaliar as possibilidades de conexão viária dos sistemas de transportes do nosso município e os do Aglomerado Urbano, podendo assim viabilizar as futuras linhas”, emendou o gestor de Governo e Finanças.

O gestor de Governo também lembrou que Jundiaí possui um projeto de revitalização do Rio Jundiaí que vai agregar à proposta dos trens, dos pontos de vista ambiental e de valor econômico. “Não posso deixar de citar a revitalização do Complexo Fepasa, uma das diretrizes do prefeito Luiz Fernando. Parte da área do Complexo pode abrigar a oficina do TIC. Esta PPP tem que entrar e ficar na nossa cidade, com todas as conexões necessárias”, ressaltou.

 

Diretrizes

O secretário-executivo da Secretaria de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Paulo Galli, disse que o investimento nas duas linhas de trem que servirão Jundiaí integra o conjunto de diretrizes do governador paulista João Doria para melhorar a mobilidade no estado. “Em fevereiro de 2020, devemos realizar uma audiência pública para apresentar o projeto. O contato constante e o apoio dos municípios são fundamentais para que tornemos estas linhas realidades. Dentro do trâmite normal do projeto, o edital será aberto em maio ou junho do ano que vem, se estendendo até outubro. Já as obras devem ter início em janeiro de 2021”, previu Paulo Galli.

O gestor da Unidade de Mobilidade e Transporte de Jundiaí, Silvestre Ribeiro, adiantou que a participação de todas as áreas da Administração da cidade será indispensável para agilizar a tramitação do projeto. “Devemos fazer o possível para reduzir os prazos e identificar as interferências que possam existir, no sentido de abrir caminho para viabilizar a PPP. Temos todo interesse nisso, a começar pela identificação dos pontos de integração das linhas e a avaliação do tempo de viagem das pessoas”, contou. “Os benefícios do projeto para nossa cidade são muitos, a começar pela mobilidade. Tem ainda a geração de empregos, fomento ao turismo e redução do deslocamento das pessoas, da poluição do ar e de acidentes de trânsito”, completou Silvestre.