Contratos no Banco do Povo crescem 250%

O Banco do Povo de Jundiaí, programa de microcrédito produtivo, registrou setembro como o mês mais produtivo do ano, demonstrando o resgate da confiança do empreendedor de Jundiaí e o trabalho desenvolvido pelos agentes do Banco para apoiar e fortalecer a atividade empreendedora na cidade. Foram 198 atendimentos realizados e 14 contratos assinados; no mesmo mês, em 2018, foram 133 atendimentos e quatro contratos – um aumento de 48% no número de atendimentos e 250% no número de contratos assinados. Só este ano, de janeiro a setembro, foram liberados mais de R$ 374 mil em créditos para empreendedores.

Desenvolvido pelo Governo do Estado de São Paulo em parceria com a Prefeitura de Jundiaí, o Banco do Povo Paulista (BPP) tem como objetivo oferecer financiamentos para empreendedores formais ou informais, associações e cooperativas produtivas ou de trabalho, para capital de giro e investimento fixo. Com isso, pretende-se promover o desenvolvimento socioeconômico e a criação de oportunidades. O crédito pode ser solicitado por pessoas físicas ou jurídicas, incluindo produtores rurais que desenvolvam atividade produtiva.

Um dos destaques é a participação feminina: dos 198 atendimentos realizados em setembro, 95 foram para mulheres – e foram elas as responsáveis por metade dos contratos assinados. Segundo Júlio Cesar Durante, diretor do Departamento de Fomento ao Comércio e Serviços da Unidade de Gestão de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, o aumento do interesse delas é notável. “Cada vez mais a mulher surge como empreendedora”, afirma.

A professora e diretora aposentada Maria da Graça Teixeira Leite pode engrossar a estatística: ela passou pelo Banco do Povo, no Complexo Fepasa, para buscar informações. “Eu já fiz de tudo um pouco: fui corretora de imóveis, trabalhei com produtos de beleza e limpeza depois de me aposentar”, conta. “Estou com umas ideias para empreender, tinha ouvido falar do Banco do Povo, mas não sabia como funcionava; hoje resolvi entrar e perguntar, e foi muito bom”.