Vítima de homicídio foi confundida com estuprador

A Polícia Militar de Campo Limpo Paulista prendeu dois homens acusados de matarem o pedreiro Almiro Andrade Ferreira, de 42 anos. Os dois homens alegaram para os policiais que cometeram o crime porque Almiro havia estuprado a filha e vinha cometendo crimes na região. Porém, a vítima não tinha filha, mas um filho. Ele teria sido confundido com outro pai que é suspeito de estuprar a filha.

Equipes da 3° Cia do 49° Batalhão de polícia militar do interior, em Campo Limpo Paulista prenderam os dois homens no Jardim Marchetti.

Após matar o pedreiro com tiros de revólver e tijoladas no rosto, a dupla voltou para casa.

Com informações obtidas pelas equipes policiais, ainda no local, foi realizado patrulhamento nas imediações, momento que as equipes avistaram, na frente de uma residência, um indivíduo em atitude suspeita e uma motocicleta de grande porte, momento que o suspeito correu pra dentro da casa, sendo acompanhado e detido juntamente com outro indivíduo. Foi observado que a motocicleta estava com o cano de escape quente.

Após entrevista policial, os homens confessaram o crime de homicídio, indicando onde estava escondida a arma usada crime.

Após vistoria em toda casa, foi localizada uma arma SMITH & WESSON, cal .32, numeração suprimida, com 5 estojos deflagrados e uma certa quantidade de drogas e dinheiro sendo: 350 gramas de cocaína; 147 gramas de maconha; 44 gramas de crack; R$ 421,80; 3 aparelhos celulares; 2 balanças de precisão e 1 motocicleta TENERÉ.

Os presos já constam registros criminais por roubo e homicídio e já estavam sendo procurados pela justiça por outros crimes. Aos militares, os presos disseram ter matado a vítima por que ele estava cometendo crimes na “quebrada” e também era estuprador. Um dos acusados disse que após o comparsa dá os tiros, esmagou o rosto da vítima com um tijolo pra ter certeza de que ele não sobreviveria.

Os presos foram encaminhados ao distrito policial de Campo Limpo Paulista, onde, após registro dos fatos, foram encaminhados ao sistema prisional.