Carminha está de volta na Globo

Louvada e consagrada como uma das vilãs que o Brasil amou odiar, Carmen Lúcia (Adriana Esteves), ou simplesmente Carminha, está de volta na próxima segunda-feira, dia 7, no ‘Vale a Pena Ver de Novo’. Com tiradas inesquecíveis e capaz de qualquer coisa para atingir seus objetivos, a personagem criada por João Emanuel Carneiro para ‘Avenida Brasil’ arma, dissimula e manipula todos a sua volta. De origem humilde, Carminha casa com Genésio (Tony Ramos), pai de Rita (Mel Maia/Debora Falabella), que acaba atropelado pelo famoso jogador de futebol Tufão (Murilo Benício). Com a ajuda de seu amante, Max (Marcelo Novaes), ela fica com a herança de Genésio, abandona a enteada em um lixão, e ainda consegue se casar com o rico jogador de futebol.

Anos mais tarde, a estabilidade e o mundo de mentiras de Carminha começa a ruir quando a enteada Rita, em busca de justiça, adota nome falso e se infiltra na casa da madrasta para desmascará-la de fazê-la pagar por sua maldade. Sete anos depois da primeira exibição de ‘Avenida Brasil’, Adriana Esteves fala sobre Carminha e a importância da personagem para sua carreira.

‘Avenida Brasil’ estreia na segunda-feira, dia 7, no ‘Vale a Pena Ver de Novo’. Até o dia 11, a novela divide a faixa com as emoções finais de ‘Por Amor’.

Entrevista Adriana Esteves

Carminha é uma das vilãs mais consagradas da teledramaturgia brasileira. Como é para você ter representado uma personagem com tanta força e repercussão?

Carminha foi, sem dúvida, uma personagem absolutamente marcante. Ter recebido a missão de encarar esta personagem foi um presente e tanto de João Emanuel Carneiro, autor da novela, e da direção da Globo.

Qual foi a cena mais difícil de gravar em ‘Avenida Brasil’?

Não consigo dizer qual cena pode ter sido mais difícil. Todas exigiam muita dedicação, mas ao mesmo tempo, todas eram extremamente coerentes e inspiradoras. ‘Avenida Brasil’ foi uma novela que arrancou de todos os envolvidos o melhor e mais criativo.

Qual a pior maldade de Carminha?

Maltratar e debochar da filha.

Você acreditou que a personagem fosse se redimir em algum momento?

Sim. Eu sempre enxerguei humanidade na personagem. Sempre entendi suas dores e sua solidão. A maternidade precoce, o amor e incapacidade de criar o filho, a miséria em que nasceu. Fatos que me faziam entender esta mulher.

Apesar de ser uma vilã, as pessoas adoram a Carminha. Qual o principal ingrediente da personagem que justifica esse fato?

Ela era cara de pau. Corajosa e divertida. Enxergava a vida com inteligência e humor.

Algumas falas da Carminha estão na boca das pessoas até hoje. Como é para você sentir a personagem tão viva sete depois de a novela ter sido exibida?

Ela nunca sairá de mim. Tenho verdadeira paixão por este trabalho.

Qual foi a sua reação ao saber que a novela seria exibida no ‘Vale a Pena Ver de Novo’?

Tem um lado meu que queria guardá-la na memória. Mas tenho que comemorar que esta excelente novela será vista por tantos que não tiveram a oportunidade de ver quando exibida pela primeira vez, e revista por quem amou.

Você guarda alguma saudade da personagem, da época das gravações?

Esta novela me trouxe muitas alegrias. Muitas, muitas mesmo. Em primeiro lugar, grandes parceiros que se tornaram enormes amigos. Conheci pessoas com quem vou querer trabalhar junto para sempre. Me trouxe também reconhecimento internacional e lindos convites para cinema e séries. Fora uma enorme realização profissional.

A afinação entre o elenco é nítida para quem assiste à novela. Qual a importância disso para o trabalho?

Este elenco é também a chave do sucesso. A novela conta com uma direção estupenda, fotografia, figurino, arte, cenografia. Uma equipe de primeiríssima. E o elenco é primoroso. Extremamente bem escalado. Todos. Tanto é que todos fizeram muito sucesso.