Rio Jundiaí pode ter canoas, convivência e ciclovia em suas margens

A Prefeitura de Jundiaí fez um concurso nacional para escolha de ideias de como aproveitar o espaço do Rio Jundiaí. Dentre as propostas apresentadas pelos vencedores estão desde o uso para canoas, ciclovia nas margens e espaço de convivência com a realização de shows.

A iniciativa foi da Prefeitura de Jundiaí, por meio da Unidade de Gestão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente (UGPUMA), em parceria com o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) Jundiaí, e teve caráter nacional. Os três primeiros colocados receberam prêmios em dinheiro, além de menções honrosas para os demais classificados.

O aposentado Milton da Cruz Pacheco, de 80 anos, nasceu em São Paulo e mora há nove anos em Jundiaí. Elogiando a exposição, lembrou que, quando menino, chegou a beber a água do Rio Tietê. “Hoje quem beber aquela água morre. Não podemos deixar isso acontecer, a população e as cidades têm que se unir para preservar a vida do rio”, disse.

De acordo com o diretor de Meio Ambiente da UGPUMA, Wagner de Paiva, o objetivo do concurso foi desenvolver ideias que possam ser implementadas no futuro. “Como muitas cidades, Jundiaí se desenvolveu ao redor do rio, que tem uma importância não só ambiental como também histórico-cultural, e hoje merece um novo cuidado”, afirmou. “A ideia é que essas propostas tragam novas possibilidades sobre o que pode ser feito para revitalizar o Rio Jundiaí e trazê-lo para o convívio da comunidade, com opções de lazer e repensando a relação da cidade com os cursos d’água”.

Edison Meneguello ficou encantado com as ideias de revitalização: “O rio merece esse cuidado”

Alex Ximenes Naves, que fez doutorado em engenharia ambiental na Espanha, também visitou a exposição com a esposa e ressaltou que as áreas de convivência ao longo das margens dos rios são uma tendência na Europa. “Um exemplo são as margens do Rio Sena, em Paris, com espaço para pedestres e ciclistas. As ideias mostradas aqui são muito interessantes e saber preservar nossos rios é essencial”, disse. Ex-guarda municipal de Jundiaí, Edison Antonio Meneguello ficou encantado. “Eu nadei no Rio Jundiaí quando era criança. São ideias lindas! O rio merece esse cuidado para que continue vivo”.

Alex, que fez doutorado em engenharia ambiental na Espanha, e a esposa Cíntia: formas de revitalização que são tendência na Europa

O concurso foi inspirado nas ações realizadas em outros lugares como o Rio Manzanares, em Madri (Espanha) e a recuperação das margens do Rio Rhône, em Lyon (França). A exposição, que é itinerante, permanecerá durante um mês na Biblioteca, que fica na Avenida Dr. Cavalcanti, 396. A entrada é franca.