Bombeiros de Várzea fazem operação de risco

Cinco homens do Corpo de Bombeiros Voluntários de Várzea Paulista subiram a Serra do Mursa, na noite desta quarta-feira, dia 04, para tentar combater as chamas que destroem a área de preservação ambiental.

Desde o final da tarde moradores de vários bairros de Jundiaí, Várzea e Campo Limpo Paulista podiam ver as chamas subindo o morro.

O comandante dos Bombeiros, Cristiano Vargas, explicou ao “Jornal da Região” que o trabalho é de alto risco, por ser de combate à noite. A equipe de voluntários corria risco de cair em algum buraco, além de ficar cercada pelo fogo, uma vez que os ventos mudam de direção a todo instante. A única “vantagem” de trabalhar à noite é que o desgaste físico fica menor.

Os bombeiros subiram o morro pela Estrada Velha para São Paulo, por onde há vias de acesso à mata. Segundo Vargas foram necessários carregar vários equipamentos de combate ao fogo e de primeiros socorros, se algum dos voluntários sofrer acidente. A equipe deveria trabalhar durante toda a madrugada.

O comandante acredita que o incêndio tenha sido criminoso. Muita gente tem ido para a mata e se descuida de uma bituca de cigarro, por exemplo.

Antes de subir o morro os bombeiros voluntários tiveram de fazer um Plano de Ação. Segundo Vargas era muito arriscado “correr” para o morro, sem ter um estudo do “caminho” do fogo e o trabalho a ser desenvolvido.

A equipe dos bombeiros de Várzea Paulista espera reduzir os focos de incêndio durante a noite e madrugada desta quinta-feira (05). Do contrário poderá pedir ajuda de dia para o Governo do Estado, para mandar o helicóptero Águia equipado com bolsão de água para ajudar nos trabalhos. À noite a aeronave não executa esse tipo de serviço.

Doações

A equipe dos Bombeiros de Várzea Paulista tem buscado apoio de empresas para conseguir uma viatura específica para combate ao fogo em situações como essa e de grande porte. O comandante Vargas disse que qualquer doação será bem vinda. E os bombeiros sempre precisam de materiais.