HU e FMJ inauguram Ambulatório do Projeto Zika Vírus

A Faculdade de Medicina de Jundiaí e o Hospital Universitário inauguraram o Ambulatório de Assistência, Ensino e Pesquisa do Dep. de Pediatria para atendimento ambulatorial e pesquisa do Zika Jundiaí.

O espaço compreende 200 metros quadrados dentro do HU com sala de espera, cinco consultórios equipados para o atendimento de crianças, além de uma sala de estudos para os pesquisadores, alunos da FMJ e bolsistas apoiados pela FAPESP. O investimento foi de R$391.000,00 provenientes de 2/3 da FMJ e 1/3 dos Rotarys Jundiaí Serra do Japy e Jundiaí Sul.

 

Serão realizados no ambulatório o atendimento de puericultura, atendimento das crianças que recebem alta das UTIs Pediátrica e Neonatal, alojamento conjunto e enfermaria que necessitam de acompanhamento ambulatorial e consultas de crianças acompanhadas pelo Projeto Zika vírus com ações educativas em saúde visando prevenção de doenças e orientações sobre aleitamento  materno.

De acordo com o Prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, esse trabalho da FMJ, HU e Prefeitura de Jundiaí proporcionam mais cuidados para as crianças e para as mães da região. Segundo Edmir Américo Lourenço, diretor da FMJ, esse momento é de comemoração. “Esse espaço vai beneficiar a população no sentido do atendimento pediátrico e nos estudos da Zika, projeto esse que é referência mundial”.

O Ambulatório para pesquisa do Zika Jundiaí é um grande passo para o projeto que teve início em 2016. A Coorte Zika Jundiaí, como é chamada, ficou com a responsabilidade de investigar a transmissão da doença em gestantes e suas repercussões nas crianças até o terceiro ano de vida. Dentre todas as pesquisas em desenvolvimento no mundo, este é o único estudo que acompanha as mães e seus bebês.

Para Saulo Duarte Passos, professor do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina de Jundiaí, que coordena a pesquisa, esse projeto é motivo de orgulho para o HU, a FMJ e toda a cidade, existem vários parceiros e muitos voluntários que ajudaram nesta conquista. “Este projeto mudou a vida de muitas famílias, temos muitas coisas para serem feitas ainda”.

Na Coorte de Jundiaí mais de 780 mulheres já foram acolhidas e, hoje, seus filhos, muitos já com dois anos de vida, recebem acompanhamento interdisciplinar totalmente gratuito envolvendo pediatras, neuropediatras, enfermeiros, psicólogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, odontólogos,

Todo o projeto deve ser concluído em 2020, quando será possível apresentar resultados efetivos sobre todo o trabalho realizado.