Alunos de Jundiaí criam mecanismo para corte de energia à distância

Dois estudantes surpreenderam professores e colegas de sua turma, após apresentarem um mecanismo capaz de promover o corte de energia elétrica sem a necessidade da ida de um funcionário à casa do inadimplente. A ideia foi dos alunos Marcos Rogério Boscariolo e Murilo Pilon, que apresentaram esta inovação em seu projeto de TCC, realizado para a conclusão do curso técnico em Eletrônica na Evolut Escolas Técnicas, de Jundiaí.

O desejo de criação do projeto surgiu após análises feitas em alguns órgãos, como a ANEEL, (Agência Nacional de Energia Elétrica). A ANEEL é o órgão governamental que regula as concessionárias de energia elétrica no país, e além de efetuar fiscalização, é o órgão que avalia se a concessionária poderá ou não renovar seu contrato de concessão. Para isso, usa-se avaliações constantes, sendo os indicadores os principais meios para esta medição (o DEC e o FEC).

Após análises, os alunos identificaram que as concessionárias, por si só, enfrentam diversos desafios e, com isso, percebeu que a ANEEL atua diretamente nesta fiscalização. Um exemplo disso é a inadimplência (clientes que não pagam sua conta de energia) de consumidores. O órgão, portanto, apenas atua indiretamente, aprovando procedimentos e gatilhos para cobrança, mas não age nas perdas ocorridas por tal inadimplência.

Em Jundiaí, por exemplo, a concessionária de fornecimento de energia elétrica CPFL Piratininga dispõe de 15 equipes terceirizadas e três equipes de quadro próprio para esta finalidade, lembrando que cada equipe é composta por duas pessoas, além de possuir um departamento próprio denominado RPC (Recuperação de Perdas Comerciais) especializado em fraudes efetuadas pelos consumidores (gatos) que geraram perda de receita.

Diante deste cenário, a ideia dos alunos, ao realizarem o projeto, era abranger o período necessário para a substituição de medidores eletrônicos e eletromecânicos comuns, para os medidores inteligentes, possibilitando cortar a energia do cliente a distância, via sinal GPRS/GSM. O projeto tem como objetivo mostrar que não há necessidade dos colaboradores irem até o local e se exporem a eventuais riscos ou, até mesmo, passar por ressentimentos por cortar a energia dos clientes inadimplentes.