Convenção coletiva garante reintegração na EBF

Com respaldo da convenção coletiva de trabalho da categoria, o departamento jurídico do Sindicato dos Metalúrgicos garantiu mais uma reintegração. Perci Ferraz de Rezende foi reintegrado, pela segunda vez, ao quadro de trabalhadores na EBF Vaz, em Jundiaí. O operador de máquina havia sido demitido em abril deste ano, mesmo tendo estabilidade garantida pela convenção coletiva em decorrência de um acidente de trabalho.

Atuando na EBF Vaz desde 2003, Rezende havia sofrido um acidente de trabalho e perdeu os dedos anelar e médio da mão esquerda, em 2009. Após entrar com uma ação de reintegração, em 27 de abril de 2017 o operador de máquinas foi reintegrado atuando em outra função. Neste ano, em 15 de abril, Rezende foi demitido novamente. O metalúrgico recorreu ao Sindicato para abrir um processo reivindicando reintegração. “Fui até o Sindicato novamente, pois sabia que a convenção coletiva me garantia a estabilidade por conta do acidente que sofri”, disse Rezende.

O diretor de base Renato Bezerra acompanhou o trabalhador reintegrado. “Temos uma convenção coletiva ampla, que garante a integridade do trabalhador em situações como essa”, declarou.