CPTM estuda expresso turístico para Santos

Mais de 40 anos depois que o último trem de passageiros desceu a Serra do Mar em direção a Santos, essa modalidade de transporte está em vias de ser retomada, mas apenas para os turistas.

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), ligada ao governo do Estado, estuda criar uma linha do expresso turístico para atender a Baixada Santista. O projeto prevê a saída do trem da Estação da Luz, no centro da capital, com a chegada no terminal de passageiros de Navios Cruzeiros, em Santos.

Se o plano se concretizar, será a quarta linha do expresso turístico paulista. Hoje, o Expresso Turístico da CPTM faz as linhas Luz-Jundiaí, Luz-Mogi das Cruzes e Luz-Paranapiacaba.

Na última segunda-feira, foi feito teste no percurso até Santos. “Essa foi uma viagem técnica para analisar os trilhos para embasamento de estudos que estão sendo realizados”, informou, em nota, a CPTM.

Conforme o projeto, o percurso inicial deve ser o mesmo da linha de Paranapiacaba, a vila histórica de Santo André, na Grande São Paulo. Essa viagem, feita no fim de semana, atendem a uma média de 15 mil passageiros por mês.

Para dar conta da demanda prevista com o novo expresso, aos dois carros que compõem o expresso turístico atual devem ser acrescidos outros três.

 

Roteiros turísticos

As linhas turísticas atuais fazem o percurso da capital a Jundiaí, numa extensão de 50 km; a Mogi das Cruzes, distante 48 km, e à Vila de Paranapiacaba, a 48 km. As duas primeiras têm tarifa de R$ 50, as outras custam R$ 48, com desconto para acompanhantes. Os trens saem da Estação da Luz.

O Expresso Turístico foi inaugurado em abril de 2009 pela CPTM e Secretaria dos Transportes Metropolitanos para integrar pontos turísticos ao longo da malha férrea. Os vagões de aço inoxidável construídos na década de 1960 e usados na antiga Estrada de Ferro Araraquara, são puxados por uma locomotiva a diesel da CPTM.

Os trens de passageiros de São Paulo a Santos eram operados pela antiga Estrada de Ferro Sorocabana. Esse sistema funcionou de outubro de 1957 até o final de 1976.