Metrô, trens e ônibus de SP prometem parar na sexta

Se você trabalha em São Paulo, é melhor ir se preparando para ter problemas: os serviços de metrô, trens e ônibus de São Paulo deverão ser afetados pela paralisação de funcionários no ato convocado por diversas centrais sindicais do país para a sexta-feira (14). Elas protestam contra o projeto de reforma da previdência e os cortes na educação, entre outros assuntos.

O setor de transporte é um dos que prometem parar na capital paulista e também em outras cidades do país. Segundo a CUT (Central Única dos Trabalhadores), bancários, trabalhadores da saúde e professores, entre outros grupos, também vão cruzar os braços.

O Sindicato dos Metroviários de São Paulo aprovou a participação na greve em assembleia no dia 6. A entidade representa os trabalhadores das Linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata, que não são administradas pelo setor privado. Para a entidade, a reforma torna a aposentadoria “um sonho impossível para a grande maioria da população”. Ainda segundo a entidade, o projeto mantém privilégios de determinadas categorias, como os militares.

 

Ônibus e Trens

 

O Sindmotoristas, que representa os motoristas de ônibus da capital, também anunciou adesão à paralisação. O Sindicato dos Trabalhadores de Empresas Ferroviárias de São Paulo, que representa as linhas 7-Rubi e 10-Turquesa da CPTM também confirmou participação.

O Sindicato dos Ferroviários da Zona Sorocabana, representante das linhas 8-Diamante, 9-Esmeralda e 13-Jade da CPTM, afirma que não convocou assembleia para aprovação do movimento de greve geral, mas que ninguém está impedido de aderir à greve.