Jundiaí anuncia investimento de R$ 9 milhões

O prefeito Luiz Fernando Machado anunciou, nesta quarta-feira (05), investimentos nas áreas de Segurança, Esportes, Mobilidade, Infraestrutura e Serviços Públicos, Planejamento Urbano e Meio Ambiente e Cultura. “Estamos priorizando serviços que tragam resultados efetivos no dia a dia das pessoas. No que diz respeito à segurança, por exemplo, serão compradas 15 novas viaturas para a Guarda Municipal para aumentar a eficiência do excelente trabalho que já é realizado pela instituição”, destacou o prefeito.

O recurso é resultado de um primeiro contrato no valor de R$ 9,8 milhões com a Caixa Econômica Federal, a partir do Programa de Financiamento à Infraestrutura e Serviços Públicos (Finisa). Na segunda etapa, ainda este ano, será assinado outro contrato de R$ 163 milhões.

Para a Unidade de Gestão de Mobilidade e Transporte (UGMT) serão destinados recursos para compra de 19 carros, cinco motocicletas e 20 bicicletas. Os veículos serão utilizadas nas ações operacionais da unidade. Também será adquirido um veículo elétrico para aulas de educação para o trânsito, dentro dos esforços da Unidade de conscientização e formação de bons motoristas.

Com os recursos, a Unidade de Gestão de Esportes e Lazer (UGEL) implantará câmeras de segurança nos Complexos Educacionais, Culturais e Esportivos (CECEs) e também renovará o sistema de iluminação com LED em seis deles. Já o Departamento do Bem-Estar Animal (Debea) fará a compra de um veículo adaptado para o resgate de animais acidentados que apoiará o atendimento veterinário já realizado pela equipe.

Outra aquisição importante, desta vez pela UGISP, será a compra de um caminhão pipa para combate a incêndios, permitindo apoio ao Corpo de Bombeiros em situações de emergência. “Vamos também investir em equipamentos para manutenção de galerias pluviais e em veículos para fiscalização de postura”, completou o gestor Adilson Rosa.

Segundo o gestor de Governo e Finanças, José Antonio Parimoschi, técnicos da Prefeitura trabalham há três meses na elaboração dos editais para otimizar o trâmite interno e acelerar o lançamento das licitações. “Intensificamos o trabalho interno para que não seja preciso correr no período das obras”, pontuou.