Alunos, professores e pais terão aulas de educação financeira

Com o objetivo de despertar o pensamento financeiro consciente, fortalecendo os aspectos social e emocional para tomadas de decisões acertadas, o Projeto Semear de Educação Financeira, uma parceria da Prefeitura de Jundiaí com o Bradesco sem custos para o Município, vai contemplar, a partir deste mês, cerca de 4.100 estudantes do terceiro ano do Ensino Fundamental de 48 escolas municipais, além de professores e pais dos alunos envolvidos.

O projeto, que está em linha com o programa Escola Inovadora, é uma parceria entre as Unidades de Gestão de Educação (UGE) e Governo e Finanças (UGGF), por meio da Rede Jundiaí de Cooperação, com foco na formação de cidadãos responsáveis a partir de um planejamento sustentável.

O prefeito Luiz Fernando Machado durante lançamento do projeto

 

Durante o lançamento oficial do projeto, na tarde desta quinta-feira (09) na EMEB Ivo de Bona, no Residencial Almerinda Chaves, o prefeito Luiz Fernando Machado destacou que faz parte do programa Escola Inovadora, além de aprimorar o nível da educação oferecida no Município, cuidar da qualidade de vida dos alunos e de suas famílias. “Um diferencial importante desse programa é que estamos cuidando da base, ajudando a formar adultos mais conscientes no que se refere ao planejamento financeiro familiar”, disse. “Estamos plantando agora um conhecimento que terá reflexos muito importantes no futuro”, completou.

 

O projeto tem como objetivo enriquecer a grade curricular das crianças do ensino fundamental com conceitos importantes para a vida. Para a gestora da UGE, Vasti Marques, a proposta contribuirá com as necessidades da família brasileira. “Trabalhar com a Educação Financeira está dentro dos conteúdos da Base Nacional Curricular Comum. Nós acreditamos que disseminar o tema entre os professores, as crianças e as famílias dos estudantes faz com que tenhamos a propriedade de fazer com que as pessoas entendam a relevância das finanças da família, não apenas no contexto escolar, mas também na sociedade. A iniciativa é interessante porque vai propiciar a todos autonomia financeira para viver melhor e concretizar as necessidades familiares”, pontuou.

Para o gestor da UGGF, José Antonio Parimoschi, o projeto é de extrema relevância pela atuação em 360 graus, ou seja, atinge todo o universo escolar (direção, coordenação pedagógica, educadores e alunos) até os pais dos estudantes envolvidos, principalmente numa época de crise financeira, transformação da economia, necessidade de um equilíbrio das finanças e do entendimento da destinação dos recursos dentro do Município. “É fundamental que, no futuro, tenhamos cidadãos mais conscientes de sua participação na construção de um bom governo e de uma boa cidade. Ao pagar o IPTU, por exemplo, que se tenha a consciência de que este imposto ajuda a financiar as despesas em áreas estratégicas para o desenvolvimento, como a educação e a saúde”, completou.

Elogios
A iniciativa recebeu apoio dos pais e professores da rede municipal. Mãe da pequena Giulia Cristina, de 8 anos, Karina Aparecida Domingos Guido disse que já conversa sobre dinheiro com sua filha, mas o auxílio da escola será fundamental para que a pequena entenda a importância do planejamento financeiro. “Às vezes, no supermercado, explicamos para ela que não dá para comprar algo porque está muito caro e ela nem sempre aceita muito bem a negativa. Acredito que isso vá mudar com a participação nesse programa”, afirmou.