Fotógrafo defende fim dos likes no Instagram

Um assunto que está gerando grande polêmica nos últimos dias é a decisão do Facebook de iniciar testes no Canadá que retirará a informação de quantas pessoas curtiram uma foto postada na rede social Instagram, que pertence ao Facebook. O assunto gerou muito movimento dentro e fora das redes, principalmente para os chamados influenciadores digitais.

Dois profissionais que tem destaque nas redes sociais em suas respectivas áreas e que tem grande destaque na internet principalmente pelo seu trabalho com famosos, acreditam que a medida pode ser benéfica. O fotógrafo Rodolfo Santos e o filmmaker Gabriel Queiroz são conhecidos por realizarem ensaios com diversas celebridades como Fernando & Sorocaba, Mumuzinho, Arthur Aguiar, Mayra Cardi, a top model Talita Rocca e o astro da NBA Leandrinho Barbosa. Influentes na rede social, Rodolfo Santos tem 120 mil seguidores e Gabriel Queiroz tem 166 mil.

O fotógrafo Rodolfo Santos. (Foto: Rodolfo Santos)

O trabalho de ambos, embora distinto, tem muita conexão com as redes sociais, que são a maior plataforma de divulgação de conteúdo de fotografia e audiovisual, até mesmo acima de plataformas clássicas como o YouTube e o Flickr, logo são seus maiores portfólios.

“Muita gente desiste de investir na rede social pela concorrência desleal ou porque não consegue likes e assim se frustra, se desanima, se deprime. Se a rede social passar a esconder do público a quantidade de likes recebida em cada foto, isso vai fazer com que mais pessoas se preocupem com a qualidade do que é postado e assim as opções do tipo de conteúdo vão aumentar. O Instagram é o reflexo de que estamos na era da imagem e fotografia e é aí que eu entro com o profissional. Fotos de alta qualidade e com conceito artístico podem fazer toda a diferença”, avalia Rodolfo Santos.

“Hoje o que mais chama a atenção nas redes sociais além de imagens de qualidade são vídeos bem produzidos. Eu acredito que ocultar o número de likes do público pode fazer com que as pessoas prezem mais pela qualidade do material publicado, sem se preocupar apenas com a métrica. Hoje em dia vale muito mais a interação do que o conteúdo postado e isso pode ser corrigido por essa nova forma de trabalhar do Facebook. E na era da imagem, um trabalho como o meu, torna-se essencial para a busca da visibilidade. Os vídeos que produzo chamam bastante atenção na rede social”, comenta Gabriel Queiroz.

Filmmaker Gabriel Queiroz. (Reprodução / MF Press Global)
Até o momento, o Facebook não informou se os testes realizados realmente irão um dia corresponder a uma realidade para todos e nem tampouco se isso chegará ao Brasil. Os motivos que levaram a empresa a testar o fim dos likes na rede social, segundo um representante, tem a ver com a tentativa de deixar a plataforma mais leve e divertida e menos tóxica e competitiva, principalmente entre os jovens.