Aleitamento materno promove crescimento cerebral de prematuros

Um estudo mostrou que bebês prematuros que consomem leite materno têm níveis significativamente mais altos de substâncias químicas importantes para o crescimento do cérebro.

O estudo apresentado no Encontro das Sociedades Acadêmicas Pediátricas 2019 em Baltimore, nos Estados Unidos, selecionou bebês que tinham muito baixo peso ao nascer (menos de 1.500 gramas) e 32 semanas de idade gestacional ou menos ao nascer.

A equipe da Children’s National coletou dados da massa branca frontal direita e do cerebelo via espectroscopia de ressonância magnética de prótons.

Os espectros de massa branca cerebral mostraram níveis significativamente maiores de inositol, uma molécula semelhante à glicose, para bebês alimentados com leite materno, em comparação com os bebês alimentados com fórmula, de acordo com o estudo.

Os espectros cerebelares mostraram níveis de creatina significativamente maiores para bebês amamentados com leite materno em comparação com os bebês alimentados com fórmula.

Além disso, a percentagem de dias em que as crianças foram alimentadas com leite materno foi associada a níveis significativamente maiores de creatina e colina, um nutriente solúvel em água.

A creatina facilita a reciclagem da renovação energética da célula, pelo que maiores quantidades deste metabolito resultaram em mudanças mais rápidas e maior maturação celular, enquanto a colina é um marcador da renovação da membrana celular, de acordo com o estudo.

“Os principais níveis de metabólitos aumentam durante os tempos em que os cérebros dos bebês experimentam crescimento exponencial”, disse a especialista em pediatria Katherine Ottolini, autora principal do estudo.

Banco de leite
Para atender a demanda de bebês prematuros existe o Banco de Leite Humano de Jundiaí, que necessita de doadoras para manter o estoque e assim conseguir atende recém-nascidos internados nas UTIs Neonatais da cidade.

Toda mulher que está amamentando e tem leite em excesso é uma possível doadora. Para doar, basta ser saudável e não estar fazendo uso de nenhum medicamento que interfira na qualidade do leite materno.

A equipe do Banco de Leite retira o leite na casa da doadora, desde que resida em Jundiaí, Itupeva, Cabreuva, Itativa, Louveira, Cajamar, Várzea Paulista, Campo Limpo Paulista e Jarinu.

As interessadas podem entrar em contato com o Banco de Leite. A equipe fará uma breve entrevista e, estando apta para ser doadora as enfermeiras vão até a residência e ensinam como fazer a ordenha e armazenamento.

O telefone do Banco de Leite é 0800-178-155.

Da Agência Brasil