UPA registra mais de 8 mil atendimentos no mês de março

É frequente as reclamações por conta do atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Várzea Paulista e o Hospital Municipal Dr. Alcípio.

Leitores relatam a demora, a falta de médicos e que em alguns casos os profissionais demonstram descaso com o paciente.

Uma delas alega que ficou das 12h até às 17h da última segunda-feira (22) sem atendimento, mesmo apresentando falta de ar, pressão alta e febre. A paciente teria feito ficha, mas só conseguiu passar pelo atendimento por volta das 17h15. Ao entrar no consultório o médico teria dito que o sistema teria caído e que seria preciso esperar um técnico arrumar. Após as 18h, ao questionar o médico, foi informada que sua ficha tinha sido perdida. Passando mal ela procurou outra unidade. “Isso é revoltante e muito triste, saber que existem pessoa que dependem muito de uma saúde pública mas nunca tem sucesso e quantos casos como este devem se repetir sempre”.

A Prefeitura de Várzea informou que somente em março de 2019, a UPA atendeu mais de 8.300 pacientes e realizou 16.950 atendimentos de enfermagem. Já o Hospital Municipal teve mais de 60 pacientes internados em março.

Os exames laboratoriais da UPA, que desde dezembro do ano passado, passaram a ser realizados na própria unidade, e levam em média uma hora para ficarem prontos. No primeiro trimestre do ano, mais de 11.900 exames foram feitos. No mesmo período foram realizados 878 eletrocardiogramas e 6.295 exames de Raio-X. Outro destaque são os procedimentos de Ortopedia, 755 e de Inaloterapia, 1356 atendimentos – sendo que 600 foram realizados apenas no mês de março.

Urgência e Emergência
Apesar do atendimento da UPA ser prioritariamente voltado para o serviço de Urgência e Emergência, este tipo de procedimento representa apenas 4% dos atendimentos. Entre janeiro e março de 2019, foram realizados 859 atendimentos de Urgência e Emergência, contra 21.729 atendimentos ambulatoriais.