Golpistas se passavam por agentes da Saúde

A Guarda Municipal de Jarinu prendeu seis pessoas, moradoras da Capital, que se passavam por agentes da Secretaria de Saúde da Prefeitura.

A quadrilha vendia produtos farmacêuticos com preços acima do mercado e oferecia atendimento fisioterapêutico, sem qualquer qualificação profissional, em domicílio.

A prisão do grupo ocorreu porque um morador suspeitou que o grupo não era da Prefeitura, como alegava. Os produtos oferecidos também não tinham procedência.

A prisão

No local indicado pelo denunciante foram abordadas seis pessoas (quatro mulheres e dois homens) que diziam que trabalhavam em uma empresa de produtos ortopédicos e em suas visitas explicavam que era uma ação comunitária ligada à prefeitura.

Os guardas Municipais, diante de tal história, que a todo instante era contraditória, ligaram para os responsáveis pela Secretaria de Saúde, onde houve a confirmação de que nenhum agente estava trabalhando com esses equipamentos.

Foram localizados em uma Van vários produtos de procedência duvidosa. A van foi apreendida junto com os produtos.

Os guardas imediatamente conduziram todos para a delegacia e a autoridade policial de plantão ratificou voz de prisão, em flagrante, por estelionato, associação criminosa e usurpação de função pública.