‘Gangue de Meninos’ furtava apartamentos

Uma gangue de meninos, que entrava em condomínios de Jundiaí e arrombava apartamentos foi identificada pela Polícia, a partir da prisão do bando pela Guarda Municipal. Levados para a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) cada um dos integrantes foi qualificado e deverá responder processo na Justiça.

Um leitor do “Jornal da Região” relatou que estava fora de casa, trabalhando. Quando chegou no seu apartamento estava todo revirado. Foram levados um notebook, joias, dinheiro e outros pertences de valor. Ao fazer as buscas nas imagens das câmeras de monitoramento do condomínio, a surpresa foi grande ao ver dois adolescentes entrando facilmente pelos portões do prédio e depois saindo com seus objetos.

A própria vítima começou a conversar com outros moradores de condomínios e descobriu que mais casos tinham ocorrido em Jundiaí, de forma semelhante.

Ainda durante a semana os menores invadiram outro prédio, em uma movimentada avenida da cidade. O primeiro adolescente de camiseta vermelha chegou na portaria e disse que ia no apartamento de um determinado morador. O porteiro abriu o portão. Alguns minutos depois veio outro adolescente. Ele conseguiu entrar no primeiro portão. Mas foi barrado por uma moradora no segundo portão, que mandou ele se identificar na portaria.

Como o comparsa já estava dentro do apartamento (ele arrombou a porta), acabou liberando pelo interfone o acesso do amigo.

A moradora agiu corretamente em impedir o acesso do desconhecido, mas houve uma falha na portaria.

Com vários casos semelhantes ocorridos na cidade, alguns condomínios avisaram os outros e os porteiros ficaram mais atentos. Quando o grupo retornou para aplicar o terceiro golpe o porteiro “prendeu” o grupo na área de isolamento e chamou a Guarda Municipal.

Em busca do chefão

O chefe dos investigadores da DIG, o policial civil Márcio, explicou que os trabalhos não terminaram, após a prisão dos menores. Há alguém por trás desses garotos. Eles são todos da Capital e havia um motorista que trazia o grupo para praticar os crimes em Jundiaí.

O policial disse que os condomínios devem dar mais orientações aos porteiros, para suspeitarem também dos adolescentes que entram nos prédios, falando que vão na casa de algum amigo. Pode ser constrangedor para um pai ter o filho barrado no prédio, mas a questão é de segurança de todos.

Ficha da vítima

Durante o interrogatório na Delegacia, um dos autores do crime disse ao policial Cristiano da DIG que eles fazem levantamentos de moradores onde vão atacar escolhendo nomes estrangeiros, porque podem ter moedas (dólar) de outros países. Procuram saber se o morador está viajando ou se está no prédio. Daí, os adolescentes entram em ação, se apresentando na Portaria como se fossem moradores. Entram nos condomínios e após invadir os apartamentos saem apenas com dinheiro e bens (que podem carregar facilmente sem chamar a atenção).

Bandidos estão treinando esses menores, para se misturarem com adolescentes que residem em prédios de alto padrão. Eles costumam frequentar as mesmas festas dos adolescentes e, fazem amizades, para descobrir o melhor horário da invasão.

Os policiais da DIG prosseguem nas investigações, para tentar identificar os “chefes” da quadrilha. Eles já sabem que existe um “professor” ensinando os menores de como devem agir.

No vídeo fornecido à Polícia, os garotos comemoram no elevador a facilidade com que entraram no penúltimo apartamento e saem rindo.