Plano de Emergência e Catástrofe é testado em simulado no aeroporto

A manhã desta quarta-feia (10), no Aeroporto Comandante Rolim Amaro, em Jundiaí, foi de exercício para o atendimento de acidente com aeronave. A simulação faz parte de atividades operacionais do Plano de Gestão de Emergência e Catástrofe de Jundiaí (GEC), que está em desenvolvimento pela Defesa Civil da Prefeitura de Jundiaí, para a implementação. O plano concatena mais de 40 agências e entes Federais, Estaduais e Municipais, para atuação durante ocorrências de ampla magnitude, de forma que a cidade consiga mitigar os impactos e se recuperar.

“Este tipo de treinamento colabora para que a cidade, em casos de ocorrências de emergência, consiga oferecer o melhor suporte às vítimas, com a união das 43 agências em situações adversas. O treinamento é a melhor resposta para blindar a sociedade”, explicou o Prefeito Luiz Fernando Machado, após o encerramento do exercício, com a aeronave Caravan tipo C208, de pequeno porte de passageiros, com dois pilotes e oito passageiros, sendo duas vítimas em situação grave, duas moderadas e seis leves. O atendimento à ocorrência foi imediato pelas equipes do aeroporto, visto que o piloto havia avisado sobre a avaria no trem de pouso da aeronave para a torre de controle. O Corpo de Bombeiros chegou ao campo de pouso em seis minutos.

O coordenador da Defesa Civil de Jundiaí, João Osório Gimenez, ficou satisfeito com o resultado. “O treinamento de ocorrências de catástrofes é fundamental para a resposta correta à sociedade. O Plano de Gestão de Emergência e Catástrofe de Jundiaí (GEC) é uma ferramenta que está em desenvolvimento desde novembro de 2017. A proposta do GEC é tornar Jundiaí uma cidade Resiliente e tem em sua estrutura primária e básica de ação, três agências que são o Corpo de Bombeiros -atuante na ocorrência e utilização da ferramenta SICOE que é o Sistema Integrado de Comando em Operações de Emergência -, o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) – que gerencia o atendimento das eventuais vítimas, avaliação e socorro -, e a Defesa Civil como agregadora dos meios e recursos municipais, integrando todas as agências. A intenção dos agentes e das agências participantes é que esse trabalho seja transformado em um Plano de Estado e pioneiro no Brasil, desenvolvido em Jundiaí e que possa servir de exemplo a ser implantado nas demais cidades”, detalhou.

O presidente da concessão Consórcio VoaSP, Coronel Marcel Moure, aprovou a simulação. “A VoaSP opera há um ano em Jundiaí e o espaço está em franca expansão, com crescimento de 25%. Esse simulado colabora com as ações que já são realizadas pelas equipes do aeroporto, que deve manter atualizado os planos de trabalho”, analisou.