Jundiaí já tem 387 casos de dengue

Boletim informativo divulgado na tarde de sexta-feira (5) pela Vigilância de Zoonoses revela que chegou a 387 o número de casos de dengue em Jundiaí.

Segundo a biomédica Ana Lúcia de Castro, em uma semana foram confirmados 110 casos da doença em nossa cidade: 60% deles registrados no jardins São Camilo e Novo Horizonte. “Realizamos um trabalho permanente de identificação dos criadouros, as pessoas que acabaram contraindo a doença e já estão em tratamento, com toda assistência necessária. Retornamos à Vila Nambi porque os focos de criadouros foram identificados anteriormente e alertados, precisam de um acompanhamento mais rigoroso junto aos imóveis”, afirmou.

Os casos autóctones (contraídos em Jundiaí) hoje são maiores que os importados. “É fundamental o combate à doença: ela pode matar. Momento é de conscientização, evitar qualquer ponto de acúmulo de água, ficar atento, preservar a própria saúde e do próximo”, acrescentou.

 

Atitude pró-ativa: Xô Dengue!

 

É muito simples combater o mosquito transmissor da dengue e outras doenças que podem acabar sendo fatais:

 

*não deixar água parada, destruindo os locais onde o mosquito nasce e se desenvolve, evitando sua procriação

 

*conservar sempre bem tampados e lavar com bucha e sabão as paredes internas de caixas d’água, poços, cacimbas, tambores de água ou tonéis, cisternas, jarras e filtros

 

*não deixar acumular água em pratos de vasos de plantas e xaxins; colocar areia fina até a borda do pratinho

 

*plantas que possam acumular água devem ser tratadas com água sanitária na proporção de uma colher de sopa para um litro de água, regando no mínimo, duas vezes por semana; tirar sempre a água acumulada nas folhas

 

*não juntar vasilhas e utensílios que possam acumular água (tampinha de garrafa, casca de ovo, latinha, saquinho plástico de cigarro, embalagem plástica e de vidro, copo descartável etc.) e guardar garrafas vazias de cabeça para baixo

 

*entregar pneus velhos ao serviço de limpeza urbana, caso precise mantê-los, guarde em local coberto.

 

*limpar frequentemente as calhas e a laje das casas

 

*manter a água da piscina sempre tratada com cloro e limpar uma vez por semana; se não for usá-la, evitar cobrir com lonas ou plásticos

 

*manter o quintal limpo, recolhendo o lixo e detritos em volta das casas, limpando os latões e mantendo as lixeiras tampadas. Não jogar lixo em terrenos baldios, construções e praças

 

*permitir sempre o acesso do agente de controle de zoonoses na residência ou estabelecimento comercial.

 

(Texto: Jamilson Tonoli)