Artesp investiga caso de porta amarrada com barbante

A Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp), abriu investigação para apurar o caso de uma porta de ônibus amarrada com barbante, na linha de Cajamar para Jundiaí, nesta semana, feita pela empresa Rápido Luxo Campinas.

De acordo com a Artesp só em 2019 já foram lavrados 315 autos de infração contra a empresa, por várias irregularidades. A última fiscalização que a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) realizou na Rápido Luxo Campinas ocorreu no dia 19/02/2019, no Terminal Rodoviário de Jundiaí. Haverá novas fiscalizações na região nas próximas semanas.

Os usuários podem denunciar irregularidades no transporte intermunicipal de passageiros através da Ouvidoria da Artesp pelo telefone 0800.727.83.77 ou pelo e-mail [email protected]. A reclamação deve informar o prefixo ou placa do veículo, para que seja realizada a apuração da denúncia. Todas as reclamações são verificadas.

A Artesp é responsável pela regulamentação e fiscalização dos serviços de cerca de 600 empresas operantes no Sistema de Transporte Coletivo Intermunicipal de Passageiros do Estado de São Paulo. A fiscalização é realizada diariamente nas rodovias e nos terminais rodoviários do Estado de São Paulo. Constatada alguma irregularidade durante a fiscalização, a Agência aplica as medidas administrativas previstas nos Decretos Estaduais, de modo a garantir a eficiência do serviço público e resguardar a segurança dos usuários.

Outro lado

A Rápido Luxo informa que a porta quebrou durante a última viagem do veículo e, de acordo com o motorista, ele amarrou a porta para terminar a viagem e recolher o carro para fazer a manutenção. A empresa, mediante a ação isolada do funcionário, já tomou medidas disciplinares, pois a atitude contraria as determinações que são:
1) Parar imediatamente o veículo em caso de falha elétrica, mecânica ou estrutural;
2) Desembarcar os passageiros, avisar a garagem e chamar um ônibus reserva;
3) Acionar a equipe de manutenção para fazer o reparo e, caso não seja possível efetuá-lo no local, recolher o carro para que a manutenção seja feita na garagem.
O motorista será encaminhado para reciclagem.