Leitora denuncia assédio em ônibus urbano

A leitora R. enviou mensagem ao “Jornal da Região” reclamando de passadas de mão em seu corpo, dentro de um coletivo de Jundiaí. Ela pegou o Expresso no Terminal Colônia e um homem ficou se esfregando nela e tocando. Ela reagiu, esperou reação das demais pessoas, mas todos ficaram indiferentes, o que causou surpresa para a passageira.

A empresa de ônibus informa que os passageiros podem usar o aplicativo da Prefeitura de Jundiaí, que pode ser baixado tanto no sistema Android quanto para iPhone, acionando a opção de Emergência da Guarda Municipal. Informando o número do ônibus e a linha os guardas têm condições de parar o coletivo pela localização do GPS e utilizar as imagens das câmeras dos coletivos como prova para processos nas delegacias.

O depoimento da leitora:

“Hoje aconteceu uma situação na qual nenhuma mulher deveria aceitar e nenhum homem deveria apoiar, porém, apoiaram. Situação no qual encontrava-me num ônibus com um homem que aos poucos se aproximava, até então se achar dono e querer tocar-me, situação que pra qualquer um é constrangedora, uma invasão de espaço! Ao pedir que se afastasse o homem reclama e altera sua voz (como se a mulher fosse propriedade dele e ele encostasse quando quisesse), aquilo me incomodou muito a ponto de alterar a minha voz também. Falei para ele desencostar e ele continuou a reclamar a ponto de me xingar. Inicialmente ignorei, porém os xingamentos continuaram, ignorei mais uma vez mas o que se diz homem não se calava, precisei expo-lo falando alto o que ele havia feito e da desculpa que havia dado. Percebi que algumas pessoas olhavam, porém, fingiam que nada ouviam, e homens ao redor o apoiavam como se nada ele tivesse feito, entretanto cheguei a conclusão que somente você pode se defender, pessoas ao redor podem olhar, cochichar mas não movem um dedo pra te apoiar! Então eu digo, MULHERES se valorizem, se defendam e defendam outras mulheres também, não permitam que nenhum homem a toquem sem sua permissão!”