Homem é preso por engravidar menina de 11 anos

Foi preso nesta segunda-feira (11) um homem, de 39 anos, acusado de engravidar a própria cunhada, de apenas 11 anos.

O ajudante de pedreiro e morador do Jardim Horizonte, em Jundiaí, foi capturado pela equipe da Guarda Municipal após investigação da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).

Atualmente, a menina está com 12 anos e abrigada em uma casa de custódia. Ela teve o filho há aproximadamente 25 dias, vivendo com ele sob a supervisão de especialistas em cuidados com crianças.

ABUSOS

De acordo com a DDM, tanto a menina como o cunhado prestaram depoimento e confirmaram que tiveram relação sexual. A garota disse ter consentido o ato. Apesar disso, o ajudante de pedreiro continua sendo criminoso, por estupro de vulnerável. O delito é previsto pelo artigo 217-A do Código Penal e prevê pena de até 15 anos de reclusão ao autor de “conjunção carnal” ou prática de “outro ato libidinoso com menor de 14 anos”.

Já os abusos, segundo apurou a DDM, ocorreram na casa do adulto, com quem a companheira dele, irmã da menina, foi morar em determinada época. O casal teve um filho – hoje com quatro anos -, razão pela qual a garota passava a semana no imóvel, uma vez que cuidava da criança enquanto a mãe fica na escola no período da tarde.

De acordo com o depoimento da própria menor, enquanto permaneceu na residência o homem era  “carinhoso e compreensivo” e a  colocava no colo para fazer carícias. Numa dessas ocasiões, levou a menor até o quarto e ali praticou relação sexual que a jovem garantiu ter ocorrido com consentimento dela.

Ainda segundo a garota, o relacionamento foi descoberto por sua irmã no dia em que pegou o companheiro passando as mãos no corpo da menor. Mas o perdoou pelo ato. Ao ter os sintomas de gravidez, a menina contou para sua irmã e as duas foram buscar um teste de farmácia, que deu positivo, fato que foi informado no Hospital Universitário, cuja equipe médica pediu que isso fosse avisado na Delegacia de Defesa da Mulher.

A menor afirmou também que mentiu sobre o cunhado ser o pai de seu filho, e que só contou a verdade ao ser ouvida pela psicóloga da DDM, especializada em comportamento infantil. Já o ajudante de pedreiro alegou que o filho poderia ser de outro garoto.