Benassi defende construção de represa nova

O ex-prefeito de Jundiaí, André Benassi, publicou em sua página no Facebook artigo defendendo a construção de uma nova represa para a cidade. Veja os argumentos do ex-prefeito:

“Nas últimas semanas acompanhamos algumas manifestações contrárias à desapropriação da Fazenda Ribeirão, na Serra do Japi, em Jundiaí. Contudo, se formos analisar as águas que vêm da Serra, perceberemos o grau de sua qualidade e o quanto esse aproveitamento se faz necessário. O projeto que prevê um novo sistema de abastecimento de água para a cidade é antigo e vem sendo estudado há muitos anos, sempre com o cuidado de preservar a fauna e flora do local. Jundiaí, assim como outros municípios, tem o propósito de aproveitar as águas que se perdem no caminho em busca de grandes rios, possibilitando a construção de represas. Neste caso específico, a utilização da água será de grande importância para o abastecimento do Vetor Oeste, que mantém, ao que se sabe, apenas uma adutora. Diante da evolução urbana que se espalha em direção a esta parte da cidade há que se fazer um planejamento para o futuro e, com isso, garantir a capacidade de armazenamento para que seja possível a manutenção de grandes investimentos e geração de riquezas. É bom lembrar que o Vetor Oeste já possui características industriais, impactando bastante no desenvolvimento urbano da cidade. É muito importante que sejam mantidas as riquezas naturais existentes na região, preservando o meio ambiente. Pelo que se sabe o projeto está direcionado a áreas livres de florestas ou qualquer parque que seja de preservação. Entendo que a água em questão será importantíssima para o futuro da cidade, pois irá permitir a segurança no abastecimento e a manutenção da qualidade de vida conquistada ao longo dos últimos anos, em virtude de investimentos anteriores que garantem até hoje um dia a dia sem racionamento. Quando prefeito pela primeira vez também encontrei resistência, principalmente quando falávamos em construção de adutoras, represas, mas os resultados de tais investimentos estão aí e são muito positivos para a sociedade. É natural que haja divergências de pensamento em projetos grandiosos, isso é comum e saudável, pois contribui para o aprimoramento dos projetos. Porém, observamos que o poder público municipal está preocupado com o futuro; que tem interesse em garantir água a longo prazo. E, isso é muito salutar. Precisamos acompanhar o desenvolvimento e encarar as reais necessidades e os desafios. Mas, não basta apenas investir em grandes obras, é preciso trabalhar a conscientização de todos. Afinal, água é vida, mas é finita e precisa ser tratada com responsabilidade e sem desperdício ou outros interesses que possam trazer prejuízos à população.”