Concurso de Ideias do Vale do Rio Jundiaí tem inscrições abertas

Como em diversas cidades brasileiras, o Vale do Rio Jundiaí é caracterizado pela presença de um sistema viário ao longo de seu traçado, impedindo a conexão com o entorno. Com o objetivo de desenvolver ideias que possam ser implementadas no futuro, a Unidade de Gestão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente (UGPUMA) inicia o Concurso de Ideias para o Vale do Rio Jundiaí. A organização é feita pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) Jundiaí. As inscrições são abertas nesta quarta-feira (20) pelo site . A premiação dos trabalhos contemplará os três primeiros colocados com valores além de menções honrosas para os demais classificados.

De acordo com a diretora Departamento de Projetos Urbanos da UGPUMA, Aline Cannataro Figueiredo, o objetivo do concurso é promover uma nova proposta de desenho para trecho do Vale do Rio Jundiaí. “Considerando tanto o contexto regional, dentro da Aglomeração Urbana de Jundiaí, quanto sua relação com a vida do seu entorno imediato. É esperado que nas propostas seja repensado o papel do Vale do Rio Jundiaí e sua ligação com os elementos de interesse histórico e cultural do município, além de serem abordadas questões referentes ao adensamento, à mobilidade e ao meio ambiente, possibilitando novas identidades para a região”, detalha.

O concurso é público e nacional, dirigido a arquitetos e urbanistas ou equipes multidisciplinares de profissionais coordenados por arquitetos e urbanistas, necessariamente. As inszcrições devem ser feitas pelo site onde também são encontradas as bases para o desenvolvimento do projeto. O período de inscrições se encerra no dia 29 de junho. A análise será feita por conjunto de técnicos independentes e integrantes da gestão. O resultado será publicado na Imprensa Oficial, no início do segundo semestre.

Ainda de acordo com a diretora, o concurso foi inspirado nas ações realizadas em outros lugares como o Rio Manzanares, Madri – Espanha, o Rio Cheonggyecheon, Seul – Coréia do Sul, a recuperação das margens do Rio Rhône, Lyon – França, a recuperação das margens do Rio Ljibljanica, Ljubljana – Eslovênia, dentre outros territórios que iniciaram as discussões e ações para a mudança da paisagem.