Governo dá R$ 50 mil por nomes do bando que matou PM

O Governo do Estado está oferecendo R$ 50 mil para quem tiver nomes dos integrantes do bando que assaltou bancos na cidade de Atibaia e matou o cabo Nilson, da Polícia Militar. Essa quantia é a máxima permitida por lei.

O secretário da Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, determinou o pagamento de até R$ 50 mil para quem fornecer informações que levem à identificação dos responsáveis pela morte do cabo Nilson Mikio Furuta Junior.

O policial, de 30 anos, morreu após ser baleado durante atendimento a uma ocorrência de furto a agências bancárias no centro de Atibaia, na madrugada de quarta-feira (19). O caso segue em investigação pela delegacia do município.
A resolução que determina o pagamento da recompensa será publicada no Diário Oficial do Estado.

Como denunciar
A resolução SSP-28, de 3 de fevereiro de 2017, que dispõe sobre o Programa Estadual de Recompensa, retificada em 02 de março de 2017, prevê que as denúncias poderão ser feitas de três formas distintas:

1. diretamente à autoridade policial competente por qualquer meio idôneo, como e-mail, carta, telefone e/ou pessoalmente, observado o dever de sigilo em relação aos dados do denunciante;

2. via Disque Denúncia, pelo telefone 181, serviço instituído em 2000 e que possui equipe treinada, com um rigoroso padrão de atendimento de segurança e sigilo;

3. por meio do acesso ao Web Denúncia, que conta com dupla criptografia de dados para proteger o anonimato do denunciante. Ao final do processo recebe um número de protocolo e uma senha para acompanhar anonimamente o andamento da denúncia. Por meio de um número de cartão bancário virtual, possibilita ao denunciante fazer o resgate total ou parcial da recompensa em qualquer caixa do Banco do Brasil.

Os recursos para o Programa de Recompensa são do Fundo de Incentivo à Segurança Pública (Fisp), que é administrado pela Secretaria da Segurança.Em qualquer das modalidades acima, a prova de uma denúncia eficaz será feita por meio de relatório, apreciado pelo secretário, que analisará o grau de eficiência. Esse valor poderá contemplar mais de uma denúncia.