Jundiaí recebe maior arquivo histórico sobre energia no centro

A cidade de Jundiaí vai abrigar o maior arquivo histórico sobre energia do Brasil. A inauguração da nova sede do Núcleo de Documentação e Pesquisa da Fundação Energia e Saneamento acontece no sábado, dia 1º de dezembro. É uma iniciativa da entidade sem fins lucrativos que protege o patrimônio histórico dos setores de energia e de saneamento ambiental.

Para celebrar a data, a partir das 10hrs, a arquivista Maria Fernanda Mendes e Freitas, responsável pela coordenação do acervo histórico da Fundação, ministrará palestra gratuita com o tema “O mistério dos arquivos”. A ação é aberta ao público em geral e é necessário realizar inscrição pelo e-mail [email protected] ou através dos telefones (11) 3395-5508 e (11) 3224-1489.

A ideia é transmitir, entre outros assuntos, o conhecimento sobre como fazer pesquisas em arquivos, quais são os instrumentos utilizados na exploração de informações e como o apoio à pesquisa da Fundação Energia e Saneamento pode auxiliar na extração de conteúdos.

“Ao longo de 20 anos de Fundação,  mais de 6 mil pesquisadores passaram pelo nosso acervo. Abordaremos os trabalhos mais interessantes, relevantes e curiosos. Sempre gratuito e disponível a pesquisadores, o arquivo instalado em Jundiaí seguirá subsidiando conteúdo do acervo para importantes pesquisas relacionadas a energia e saneamento, mas também a temas ligados ao processo de urbanização e industrialização do Estado de São Paulo”, adianta Maria Fernanda.

Documentos históricos serão apresentados durante a palestra que ocorrerá na sede do acervo, localizado no edifício de uma antiga subestação transformadora de energia, do início do século XX, no Centro de Jundiaí. Entre os itens, destacam-se imagens antigas de Jundiaí e região, como documentos cartográficos, textuais e iconográficos.

Formado pela documentação das empresas de energia paulistas, havendo também coleções particulares reunidas por profissionais que atuaram no setor de energia,  o acervo, que integra um vasto patrimônio histórico gerado ao longo de mais de 100 anos de implantação e desenvolvimento da energia elétrica no país, é composto por mais de 1.600 metros lineares de documentos técnicos e gerenciais, 260 mil documentos fotográficos, cerca de 3.500 objetos museológicos, 50 mil títulos na biblioteca, além de documentos cartográficos, audiovisuais e sonoros, reunidos a partir de meados do século XIX.

O TRATAMENTO E A PRESERVAÇÃO DOS ARQUIVOS

O prédio que comporta os arquivos históricos conta com uma equipe fixa em Jundiaí que garante o tratamento dos itens do acervo. Mapas, livros, fotografias, plantas, documentos textuais, audiovisuais, entre outros, recebem cuidados que envolvem ações de preservação, estabelecendo a rotina de observação e controle de temperatura e umidade, avaliação do estado de conservação e higienização.

“Todo esse trabalho de tratamento e proteção dos arquivos também garante o acesso do público aos documentos do acervo, permitindo que livros, mapas, documentos textuais, estejam  em condições de serem expostos”, finaliza Maria Fernanda.

SOBRE A FUNDAÇÃO ENERGIA E SANEAMENTO

Criada em 1998, a Fundação Energia e Saneamento pesquisa, preserva e divulga o patrimônio histórico e cultural dos setores de energia e de saneamento ambiental. Atuando em várias regiões do Estado de São Paulo por meio da Rede Museu da Energia (São Paulo, Itu e Salesópolis) e do Núcleo de Documentação e Pesquisa, realiza ações culturais e educativas que reforçam conceitos de cidadania e incentivam o uso responsável de recursos naturais, trabalhando nos eixos de história, ciência, tecnologia e meio ambiente.