Prevenção: ações de combate ao Aedes são feitas

A Prefeitura de Jundiaí desencadeia, de forma preventiva, trabalho integrado entre diversas áreas da administração para o combate de arboviroses, doenças transmitidas pelos mosquitos Aedes aegypti. Apesar de Jundiaí não registrar mortes para dengue, zika e chicungunya neste ano, o período de maior vulnerabilidade se aproxima, com as chuvas e altas temperaturas. Com o objetivo de manter os índices baixos e promover a conscientização da população, todas as Unidades de Gestão, a partir do Grupo Permanente de Monitoramento das Endemias da Saúde, desenvolvem ações direcionadas à eliminação dos criadouros dos vetores transmissores das doenças.

“O trabalho é permanente, mas intensificado nesta época do ano por conta do clima. A conscientização da população e as iniciativas que cada unidade pode desenvolver para evitar os criadouros de mosquitos Aedes aegypti são fundamentais para que a cidade consiga passar pelo período com mais tranquilidade. Dengue, chicungunya, zika e febre amarela são doenças que podem matar”, alertou a diretora de Vigilância em Saúde, da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), Fauzia Abbou Abas Raiza.

De acordo com o boletim da Vigilância Epidemiológica (VE), entre janeiro até 23 de novembro foram registradas 330 notificações de dengue em Jundiaí, sendo 5 casos confirmados e nenhum óbito. No ano passado, o número de notificações foi de 665, com 10 casos confirmados, sem óbito. “Os números são baixos de casos, mas o mosquito é circulante e está mais adaptado. Hoje encontramos larvas de Aedes aegypti em poças de água suja. Por isso, é preciso que as pessoas mantenham o alerta nas suas residências, empresas e prédios públicos”, comenta o gerente da Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ), Carlos Ozahata.

O gestor da Unidade de Gestão da Casa Civil, Gustavo Leopoldo Maryssael de Campos, apontou a necessidade de envolver os demais municípios da Aglomeração Urbana de Jundiaí (AUJ) para conter as doenças. “Esses dados e estratégias de ações devem ser passados para as demais cidades, de forma que todos estejam cientes dos riscos e façam sua parte.”

Na próxima semana, entre os dias 26 a 30 de novembro, o governo federal desenvolve a Semana Nacional de Mobilização Intersetorial de Combate ao Aedes Aegypti. Neste ano, as atividades para o período será a difusão de informações não somente entre a população, como entre os servidores dos órgãos.