Polícia continua as buscas por Daniela

O anúncio de que havia o corpo de uma mulher degolada, no Jardim Satélite, em Campinas, levou policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Jundiaí a buscar informações junto ao 35º Batalhão da Polícia Militar, para saber se não era a moradora do Jardim São Camilo, em Jundiaí, Daniela Correia Delfino, de 27 anos. Desde sábado (24), pela manhã, a mulher está desaparecida e o seu telefone celular foi parar nas mãos de um homem que exigia da família pagamento de cerca de R$ 1 mil para fazer devolução.

Os policiais Gigio e Júlio, da DIG, receberam informações da PM de Campinas de que o corpo localizado não é de Daniela. As buscas continuam. A mulher saiu de manhã de sua casa na rua Benedito Souza Basílio, no São Camilo, deixando um bilhete para o marido de que iria até a Igreja e depois aproveitaria o Centro com lojas abertas para fazer compras. Mas não voltou mais para casa e o seu celular é atendido por um homem que diz ter comprado o aparelho em São Paulo.

Os policiais da DIG pedem a quem tiver qualquer informação para ligar no telefone 4526-6326.

Daniela possuí uma tatuagem no antebraço com o nome de “Clébio” e outra na mão direita com “ISA”. No dedo anelar o símbolo “$” e uma borboleta nas costas, do lado direito. Também há um anjo tatuado na perna esquerda.

A desaparecida usava uma calça jeans desbotada com rasgo no joelho e uma blusa branca, na hora que saiu de casa. A família está preocupada e pede ajuda com qualquer informação.