Quadrilha de menores é solta após depoimento

Uma quadrilha formada por quatro menores de 18 anos de Jundiaí – que aterrorizou funcionários de farmácias e roubou um carro -, está de volta às ruas depois de ter sido detida pela Polícia Militar e prestar depoimento na Polícia Civil.

O delegado de Plantão teve de soltar os rapazes com base no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e porque eles não foram presos em flagrante. O ECA também proíbe a divulgação das imagens dos assaltantes menores de idade. O grupo deverá ficar sob a guarda dos pais ou responsáveis.

O bando é acusado de roubar a farmácia Drogasil da avenida Luiz José Sereno, no Parque Eloy Chaves. Na fuga roubou também um Nissan Versa, de um motorista que estava no local.

Os policiais do 5º Distrito de Jundiaí conseguiram a identificação do grupo por meio de registros de ocorrências anteriores, informou o investigador Roberto.

Neste final de semana soldados do 11º Batalhão conseguiram deter os quatro jovens. Eles confessaram que roubaram a farmácia do Eloy Chaves e outra, a Drogaria São Paulo da rua do Retiro. Nessa última ação eles agrediram funcionários e foram muito violentos, para pegar dinheiro do caixa.

Três dos menores estavam na Estrada Municipal do Varjão, quando foram abordados pela viatura do cabo Everton e soldado Gabriel.

Após serem questionados sobre os roubos recentes eles confessaram os crimes e apontaram o quarto elemento, que estava na escola.

Os policiais pediram reforços e foram buscar o adolescente. Todos foram conduzidos ao Plantão da Polícia Civil na avenida Nove de Julho, onde o delegado determinou que fossem feitos os registros dos depoimentos. Em seguida os menores foram entregues aos pais ou responsáveis.

Vídeo de roubo

No vídeo que a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) obteve, de uma das ações do grupo na Drogaria São Paulo, um funcionário é obrigado a se deitar no chão, enquanto o outro balconista é pressionado a abrir a gaveta do Caixa.

Agindo de forma violenta, os assaltantes levam tudo o que encontram de valor.

Os policiais Gigio e Júlio chegaram a pedir para quem reconhecesse os integrantes do bando para ligar no telefone do Disque Denúncia, o 181 ou na DIG.

Agora o caso será analisado pela Justiça de Jundiaí.