Hospital São Vicente recebe R$ 25 milhões da Prefeitura

Único hospital a atender alta complexidade de todo o Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ), o Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) receberá um aporte de R$ 25 milhões da Prefeitura de Jundiaí para manter o pleno funcionamento do equipamento. O valor – que será pago a partir de termos aditivos – é referente ao custeio de atendimento ambulatorial acima da meta estipulada em convênio e custeio de internações não pagas pelo Ministério da Saúde (Autorizações Internações Hospitalares (AIHs) rejeitadas). O montante é proveniente do orçamento da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS).

O AUJ conta com população perto de 800 mil pessoas que se valem do HSVP para a alta complexidade, demandando cerca de 600 cirurgias, 1,3 mil internações e 22 mil atendimentos mensais. “Temos conseguido vários avanços com relação à Saúde de Jundiaí como a aproximação com o Hospital Regional para leitos de retaguarda e as cirurgias de baixa complexidade. No entanto, ainda assim, o atendimento é acima das metas conveniadas e demandam aportes, que, neste ano, serão na ordem de R$ 25.022.579,52, essenciais para que o hospital continue a garantir o acesso da população. Com planejamento e austeridade nos investimentos é possível melhorar o atendimento de assistência à vida da população”, detalha.

O HSVP registrou, no período de outubro de 2017 a agosto de 2018, 25.242 procedimentos ambulatoriais além da meta estabelecida em convênio. O volume representa um custo adicional de R$ 14,3 milhões para a instituição. Outros R$ 10,6 milhões foram gastos ao longo do período para custear as Autorizações de Internações Hospitalares (AIHs) rejeitadas pelo Ministério da Saúde (MS). O valor de R$ 25.022.579,52 é detalhado com R$ 22.422.579,52 provenientes de recursos próprios do orçamento da UGPS somado ao valor de R$ 2,6 milhões recebidos em recursos vinculados do Ministério da Saúde.

No ano passado, os valores repassados foram de R$ 8.109.543,92 por excedente de produção e mais R$ 6.112.223,15 pelas internações rejeitadas. “A Prefeitura de Jundiaí tem convênio com o HSVP para o atendimento ambulatorial. Quando ultrapassa a meta, gera excedente de produção. As internações que são rejeitadas pelo MS também são de atendimentos realizados. Apesar de o hospital contar com 238 leitos oficiais, as internações ultrapassam esse número, na maioria das vezes, por ser o único hospital de alta complexidade da região”, comenta o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), Tiago Texera.

“O excesso de produção do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo é de aproximadamente 19% acima das metas estabelecidas no convênio com a Prefeitura. O HCSVP tomou todas as medidas de austeridade e ainda assim, foi possível economizar R$ 2 milhões/mês, com aumento do número de internações e cirurgias”, explicou Matheus Gomes, Superintendente do HSVP.