Moradores do Vetor Oeste são cadastrados para a Clínica da Família

Com a aproximação do início do funcionamento da Clínica da Família, no Vetor Oeste, a Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) realiza o cadastramento das famílias que fazem parte do território referenciado para o atendimento no novo equipamento da rede municipal. A partir do dia 3 de setembro, Agentes Comunitários de Saúde (ACS) percorrerão as ruas que passarão a contar com a cobertura da Estratégia de Saúde da Família (ESF) para cadastrar os moradores e mapear a área de atuação de cada uma das 8 equipes que atuarão na localidade.

A concepção da Clínica da Família é direcionada para o atendimento de 40 mil munícipes, que hoje são referenciados para a Unidade Básica de Saúde do Novo Horizonte. “O modelo de saúde criado para o Vetor Oeste, usando a Clínica da Família (com Guardião da Saúde e Posso Ajudar), com oferta de exames, consultas e procedimentos e cobertura de 100% da população com a atuação da Estratégia de Saúde da Família (ESF), será referência para a cidade de atendimento resolutivo, humanizado e de excelência. Atualmente existem 4 equipes ESF atuando na UBS. Quando da operacionalização completa do espaço, esse atendimento será dobrado, com oito equipes formadas por médicos, enfermeiros, agentes comunitários, dentista e técnicos de enfermagem dobrando a oferta de serviços em saúde. Esse cadastramento é fundamental para que as famílias sejam identificadas para o atendimento no novo modelo de atenção em saúde. Com organização e planejamento é possível entregar mais e com maior qualidade para o atendimento da população”, detalha o Prefeito Luiz Fernando Machado.

O cadastro familiar é uma “leitura” da comunidade e de sua situação de saúde feito pelos Agentes Comunitários de Saúde. “Por meio dessas informações se conhece a população, sua condição de vida e suas necessidades. O cadastro tem por objetivo quantificar e qualificar a população, direcionando o trabalho da equipe, definindo inicialmente o território e sua distribuição em micro áreas, determinando onde, como e quando a equipe deve intervir prioritariamente, com ações de saúde e políticas públicas. Possibilita também a classificação de risco para a priorização de atendimento, por isso é importante que todas as famílias recebam os agentes e prestem as informações necessárias”, explica a Maria Cristina Sciamarelli, coordenadora Administrativa do Convênio da Estratégia de Saúde da Família.

Segundo a coordenadora, o Agente Comunitário de Saúde é o profissional da equipe da ESF que está mais próximo da comunidade,  trazendo informações importantes para os demais profissionais que integram a equipe, participando ativamente no planejamento das estratégias para melhorar a qualidade de vida daquela população. “Para que possamos conhecer a realidade da localidade e para que possa ser atendido pela equipe da Clínica da Família, é necessário que seja feito o cadastro com os agentes. Eles passarão de casa em casa, nas áreas que ainda não são mapeadas, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Os agentes estarão devidamente identificados, com crachá com foto, jaleco ou camiseta para colher as informações. Caso os moradores não sejam localizados durante a semana, a visita será feita novamente, aos sábados”, detalha.