Faculdade orienta como socorrer quem sofre de parada

A Liga de Cirurgia Geral e Trauma da Faculdade de Medicina de Jundiaí realizará uma ação no Parque da Cidade denominada “MEGA RCP (Reanimação Cardiopulmonar)” neste sábado, dia 25, das 9h às 12h. A atividade consiste em ensinar a população como agir em casos de parada cardiorrespiratória.

O início das compressões torácicas de forma imediata e efetiva, associado com o acionamento simultâneo dos serviços de emergência, é a maneira mais eficaz de garantir sobrevida daquele que sofreu uma parada. A atividade terá participação da CCR AutoBAn – concessionária que administra o Sistema Anhanguera-Bandeirantes e integra o Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo – e do SAMU 192 – Jundiaí.

A Liga tem como função aprofundar conhecimentos na área de cirurgia para os alunos interessados no tema, além de auxiliar na construção de profissionais capazes de transmitir esses conhecimentos para a população, de forma ativa, por meio de atividades práticas, e de forma passiva, através de atendimentos. O professor coordenador da liga é o Dr. Mário Jorge de Castro Kodama.

“A ideia de promover essa atividade surgiu da percepção pelos profissionais de que a população não é instruída a agir nessas situações, o que acaba atrasando o socorro e diminuindo a sobrevida daqueles que sofrem uma parada cardiorrespiratória”, completa Kodama.

O início das compressões torácicas de forma precoce possibilita que não haja desassistência ao paciente enquanto o socorro não chega, principalmente ao levar em conta que a cada minuto sem as manobras de ressuscitação, há perda de aproximadamente 10% da chance de sobrevivência do paciente. É primordial o acionamento correto dos serviços de emergência imediatamente através do número 192 – SAMU ou telefone das concessionárias, caso esteja em uma estrada, além de informar corretamente o local da ocorrência.

No Brasil, segundo o relatório de 2011 do Ministério da Saúde anualmente 344 mil pessoas morrem de doenças cardiovasculares no país, que é a maior causa de parada cardiorrespiratória.