PM liberta mulher sequestrada em Jundiaí

Soldados da Polícia Militar de Jundiaí libertaram, na manhã desta sexta-feira (15), uma mulher vítima de sequestro-relâmpago. O caso começou no Centro da cidade quando dois bandidos roubaram um carro e na fuga bateram o veículo. Depois roubaram o Uno da mulher de 38 anos. Uma testemunha viu e acionou o 190.

Os dois homens roubaram primeiro um veículo Peugeot Partner por volta das 7 horas da manhã na Rua Zacarias de Goes, no Centro de Jundiaí. Eles fugiram para a Ponte São João e bateram o carro na Rua Santa Maria.

Percorreram um trecho a pé e na Rua Lima renderam a mulher que dirigia seu veículo, um Fiat Uno na cor cinza.

Os criminosos colocaram a vítima no banco de trás do veículo e foram obrigados a parar em um posto de combustíveis na Avenida Antônio Frederico Ozanan.

Durante esse trajeto, um cidadão passava informações para o telefone de emergência da Polícia Militar, 190, informando sobre o roubo e a retenção da vítima.

Os policiais militares chegaram rapidamente ao posto onde os criminosos pararam e avistaram os dois saindo com a vítima de dentro da loja de conveniência.

A expressão da vítima era de extremo pavor e, em seguida de alívio ao ver os policiais se aproximando e detendo os dois.

Durante a revista no veículo os policiais localizaram uma pistola para lavadoras de alta pressão utilizada pelos autores dos crimes para simular uma arma longa.

Na Delegacia, além do dono do Peugeot e da mulher sequestrada, havia outra vítima de roubo que reconheceu a dupla.

Versão da vítima

A mulher então informou aos policiais militares que tinha sido vítima de roubo seguido de sequestro na ponte São João e que os criminosos seguiram com ela até o posto de gasolina na Ozanan, onde abasteceram o carro e queriam sair sem pagar.

Nesse momento começou uma discussão entre o frentista, que não sabia o que estava acontecendo e os criminosos.

A vítima chegou a desmaiar, porém a dupla a levantou e segurou pelo braço.

Neste momento, os policiais militares, que haviam recebido um chamado  chegaram e efetuaram a abordagem descobrindo se tratar de um roubo com retenção de vítima.

“Eu não conseguia pedir socorro, tinha muito medo da reação deles”. Eles também queriam fazer saques nos caixas eletrônicos, usando meu cartão, disse a mulher aos policiais, ainda muito emocionada.”

Um dos criminosos já possuí passagem criminal por homicídio tentado.