Autor de homicídio após briga de trânsito vai a júri

O Tribunal do Júri de Jundiaí volta a se reunir nesta quinta-feira, dia 14, a partir das 10 horas, para o julgamento de Fábio de Souza Pereira. No dia 26 de janeiro de 2014 ele matou com um tiro de revólver no peito o cinegrafista do Exército Brasileiro, Luciano Magnus de Almeida Santos. O crime ocorreu na rotatória do Parque da Cidade, em Itupeva e a vítima foi socorrida ao hospital da Sobam, onde morreu.

Na época o autor do homicídio fugiu em um Astra, de cor prata. Um trabalho investigativo da policial civil Carla Branco, com a equipe do delegado Elias Evangelista, resultou na localização de um morador de Itupeva. Ele confessou que houve briga no trânsito e atirou contra o cinegrafista do Exército. A vítima levava a esposa na garupa e contou todos os detalhes para os policiais.

Uma placa foi anotada. Mas não batia com os registros do Detran. Após intenso trabalho de apuração os investigadores de Itupeva localizaram o autor no trabalho dele.

O ministério público inicialmente pediu a absolvição do autor do delito, não sendo o mesmo sequer pronunciado. Foi através de um recurso interposto pelo assistente de acusação, Thiago Leardine, que reverteu a situação e trouxe o pronunciamento para consequente plenária do júri por meio do escritório Favre Associados.

Luciano Magnus atuava como cinegrafista no 12º Grupo de Artilharia de Campanha (GAC) de Jundiaí havia 23 anos. Ele era formado em Educação Física e especialista em artes marciais. Fazia pouco tempo que estava morando na cidade de Itupeva, até acontecer essa tragédia.

A sessão do Tribunal do Júri é aberta ao público em geral no Palácio da Justiça de Jundiaí, o Fórum.