Três casas são interditadas pela Defesa Civil

O coordenador da Defesa Civil de Jundiaí, coronel João Osório Gimenez, disse na Rádio Cidade AM, na manhã desta quarta-feira (28), que devido as chuvas fortes do final da tarde de terça-feira (27), três casas foram interditadas pelo órgão.

Uma delas sofreu com a enxurrada na rua Ibiporã, com a água derrubando parte de um muro. A casa fica abaixo do nível da rua e ficou totalmente alagada. Na outra, no Jardim Copacabana, um muro desabou sobre o telhado de uma casa. O leitor Markinhos enviou fotos ao “Jornal da Região” de como ficou o imóvel na rua Mauro Torres.

Ninguém ficou ferido.

O coronel disse que os moradores da Área Verde, no Santa Gertrudes, também sofreram com o alagamento do rio que corta o núcleo de submoradia, com as águas levando embora as pontes de acesso utilizadas pela comunidade.

Chuva forte

A Defesa Civil informa que, na terça-feira (27), choveu 80 milímetros em um intervalo de uma hora em Jundiaí, sendo que a região Oeste da cidade foi a mais atingida. Não houve registro de vítimas ou ocorrências graves. De acordo com o Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais), Jundiaí foi a cidade do Estado de São Paulo com o maior volume de chuvas ontem. Ao todo, já choveu 330 mm em março até agora, volume muito superior à média histórica para o mês, que é de 112 mm.

Como resultado da Rede de Emergência criada pela Administração, o atendimento aos atingidos tem ocorrido de forma imediata, uma vez que assim que uma ocorrência é registrada, todas as Unidades de Gestão são avisadas e o trabalho é realizado de forma integrada.

Na região do Jardim Novo Horizonte, choveu 2 milímetros, volume considerado normal. No entanto, alguns alagamentos foram registrados por conta da sujeira levada pela água das chuvas que causou o entupimento de bocas de lobo. A Defesa Civil reforça a importância de a população não jogar lixo nas ruas.

No Jardim Santa Gertrudes, duas casas foram interditadas por conta de risco de desabamento. Uma delas, na rua Ricardo Cesar Fávaro, ocorreu um deslizamento de parte da garagem causado pela força das água, que gerou um solapamento do terreno.