Funcionário da AutoBAn seguiu todas as normas de segurança

O funcionário da AutoBAn, Paulo César Guimarães Rosa, de 36 anos, que morreu atropelado por um caminhão às 13 horas desta terça-feira no Km 53 da Via Anhanguera, na região do Residencial Anchieta, em Jundiaí, seguiu todos os procedimentos padrões internacionais de segurança.

Qualquer um poderia ter morrido no local, seja um policial rodoviário ou usuário da estrada. A culpa não foi da vítima. O caminhoneiro que dirigia um Volkswagen Worker 15.180 atingiu toda a lateral da caminhonete de Paulo e disse após o acidente para testemunhas que “não viu o que aconteceu”.

De acordo com informações obtidas pelo Jornal da Região, o experiente funcionário colocou os cones de sinalização, deixou a viatura da concessionária atrás do veículo de um usuário da rodovia.

Paulo estava atendendo o motorista de um Fox, que sofreu pane mecânica.

A Polícia Rodoviária, a Polícia Militar, a Polícia Civil e a Polícia Técnica foram destacadas para a ocorrência, para todos os levantamentos.

A conclusão que todos chegaram é de que Paulo foi vítima de uma imprudência do caminhoneiro, que atingiu o veículo da AutoBAn no acostamento. Advogados da empresa que o caminhoneiro trabalha compareceram ao local do acidente e também no 6º Distrito Policial.

O delegado Rafael Casarin Penha vai relatar o caso para a Justiça, com base nos laudos do Instituto de Criminalística de Jundiaí.