Recursos da Câmara ajudam o Hospital São Vicente

O prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, encaminhou para o Hospital São Vicente de Paulo a quantia de R$ 13 milhões para que a instituição feche as contas do mês referente ao atendimento da população. A maior parte deste montante – R$ 11 milhões – é proveniente da devolução de recursos realizada pela Câmara Municipal de Jundiaí no final deste ano.

O presidente da Câmara Municipal, Gustavo Martinelli, disse que a devolução é fruto da gestão dos recursos e demonstra o esforço do Legislativo em contribuir com a recuperação do município, que atravessa um momento econômico delicado, com a queda das receitas e aumento das despesas.

Grande parte desta economia, segundo o presidente, vem da nomeação de servidores de carreira para cargos antes ocupados por comissionados. Os cargos de Diretor Financeiro, Diretor Administrativo, Diretor Legislativo e Procurador Geral são agora ocupados por servidores de efetivos, por força da Lei que começou a ser aplicada em janeiro deste ano.

Além disso, o cargo de Assessor de Informação e Cerimonial desde o início do ano também é ocupado por servidor de carreira – mesmo sem haver, na época, legislação que obrigasse tal conduta. Posteriormente foi promulgada Lei que torna obrigatório o preenchimento deste cargo por servidor efetivo, garantindo que a economia seja permanente.

Acompanhando o Executivo, a Câmara Municipal também não reajustou o salário de seus servidores em 2017, o que manteve sua folha de pagamentos estável.

Outra iniciativa que refletiu na queda das despesas foi a regulamentação do uso do Plenário da Câmara Municipal por terceiros. Reduzindo sua utilização fora do horário de expediente normal, acabou-se economizando com pessoal e infraestrutura.

As despesas com energia elétrica também caíram devido à troca de lâmpadas halógenas por LED, comprovadamente mais econômicas, e à instalação de acendimento de lâmpadas em áreas de circulação por sensores de presença.

Ainda pensando no momento econômico do município, a Câmara optou por não renovar seus equipamentos de informática e sua frota de veículos, que data de 2008, investindo na manutenção preventiva.

Outra ação fundamental que propiciou tamanha economia foi o adiamento das obras de manutenção no Prédio Anexo e no Plenário da Câmara Municipal. Apesar de necessárias, tais obras foram adiadas para um futuro próximo tendo em vista que a necessidade do município por recursos era mais urgente.

Histórico

A Câmara Municipal sempre zelou pela boa gestão dos recursos e empreende todos os seus esforços para, anualmente, devolver tanto quanto possível aos cofres da Prefeitura. Em 2016, esse valor foi de R$ 7,2 milhões. Em 2017, a devolução foi 51% maior que no ano anterior.