População de Itatiba sofre com falta de atendimento na Santa Casa

A equipe de reportagem do Jornal da Região recebeu, durante toda a quinta-feira (05), reclamações de pacientes que buscaram atendimento na Santa Casa de Misericórdia de Itatiba e foram orientados a procurarem a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Os usuários se sentiram lesados e prejudicados pela situação.

De acordo com a Provedoria da instituição, o Pronto Socorro da Santa Casa está atendendo apenas casos de extrema emergência dos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). A medida foi adotada no ano passado por contenção de gastos. De acordo com a entidade, o Pronto Socorro está aberto, porém com capacidade de até 100 pacientes em 24 horas. O cenário ficou insustentável porque o atual repasse recebido pelo município é insuficiente para cobrir os custos dos atendimentos. A Santa Casa não recebe o repasse, acordado com a Prefeitura de Itatiba, desde julho.

O fato ganhou repercussão em rede social e a Prefeitura de Itatiba lançou nota, somente à noite, afirmando que o serviço de atendimento no Pronto Socorro da Santa Casa é prestado e custeado exclusivamente pela entidade filantrópica, sob gestão exclusiva de sua Provedoria. De acordo com a nota “o contrato entre Prefeitura e Santa Casa contempla os serviços de internações, UTI, hemodiálise e cirurgias – o Pronto Socorro, portanto, não está incluso, sendo, segundo a entidade, prestado em forma de caridade e filantropia. Já a UPA é de responsabilidade financeira da Prefeitura e atualmente se encontra sob gestão da Santa Casa”.

A equipe do JR esteve nesta quinta-feira (05) na UPA e conversou com pacientes que tiveram a mesma orientação da Santa Casa. No local haviam dois médicos (clínico geral) e um pediatra. Algumas pessoas estavam a cerca de três horas no local e reclamavam da lotação. Um paciente chegou na UPA com o pé cortado, após um acidente doméstico, com muito sangramento. Ele afirmou que o atendimento na Santa Casa foi negado.

Uma mãe publicou em rede social, que a filha de 4 anos também não foi atendida e desmaiou.