Alckmin lança campanha contra o aedes

O governador Geraldo Alckmin participou neste sábado, dia 19 de novembro, da abertura do “Dia D” de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, a chikungunya e o Zika vírus. A mobilização, organizada pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo em parceria com todos os municípios do Estado, marca o início da Semana Estadual de Combate às Arboviroses, que acontece de 21 a 25 de novembro.

Entre as ações propostas pela campanha estadual “Todos juntos contra o Aedes aegypti” para serem intensificadas neste período estão a varredura de focos do mosquito em imóveis públicos, privados e baldios, com eliminação de criadouros, remoção mecânica, tratamento químico (quando necessário), bem como a difusão de orientações à população.

“Tivemos uma queda grande de dengue no Estado de São Paulo, diminuição de 6% de casos confirmados e de 81% de mortes. Mas esse trabalho não pode parar porque o mesmo mosquito que transmite a dengue transmite chikungunya, Zika vírus e também febre amarela urbana. E agora já se identificou no Caribe um outro vírus também, o Mayaro, que é transmitido pelo mesmo Aedes aegypti. E o caminho é combater o mosquito e não deixar ter água parada de jeito nenhum”, disse o governador.

Somente no “Dia D”, 25.512 agentes municipais de 360 cidades paulistas estarão envolvidos no trabalho de prevenção e combate aos focos do mosquito transmissor das arboviroses. Cada profissional envolvido receberá do governo do Estado, via prefeituras, uma remuneração extra no valor de R$ 120,00.

As prefeituras interessadas em participar da campanha assinaram um Termo de Adesão, indicando o número de agentes e de supervisores mobilizados em sua jurisdição. Haverá, ainda, um reforço com mil agentes da Sucen, que irão auxiliar os profissionais dos municípios.

Desde de janeiro, mais de 38,7 milhões de imóveis em todo o Estado já foram visitados por agentes de saúde para eliminação de possíveis focos do mosquito.

“A outra frente de trabalho é a vacina. Nós já estamos na última fase, chamada de teste clínico, com 17 mil pacientes. Foram vacinados até ontem 3.400 no Brasil todo, só falta Brasília, o último centro de pesquisa do Instituto Butantã. Até o dia 10 de dezembro começa a vacinação em Brasília. E aí nós esperamos ao final do verão já ter uma resposta sobre a eficácia da vacina. Todo o teste de segurança já foi feito, agora é a última fase para pedir para a Anvisa a aprovação da vacina para ser produzida em escala industrial”, disse Alckmin.

Queda nos casos

Balanço realizado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, com base nos dados informados pelos municípios paulistas por intermédio do Sinan (Sistema de Informação de Agravos de Notificação), aponta que o número de casos de dengue caiu 76% neste ano, em comparação com 2015. Até o dia 4 de novembro, foram confirmados 159.412 casos da doença do Estado. Em 2015, o número de total de casos foi de 684.360. Comparado ao número de óbitos, a diminuição foi ainda maior, passando de 488 em 2015 para 93 neste ano, o que representa uma queda de 81%.

Em relação à chikungunya, somente neste ano foram confirmados, até o momento, 1.006 casos, entre autóctones e importados. Já em relação ao Zika vírus, no mesmo período, foram confirmados 3.962 casos da doença em todo o Estado.