Desembargador do TJ elogia PM que matou assaltante

O desembargador do Tribunal de Justiça, o jundiaiense Cláudio Soares Levada, elogiou a policial militar feminina que matou no final de semana um assaltante que agiu em frente de uma escolinha infantil, ameaçando mães e crianças.  Veja o depoimento do desembargador:

“Chego a ter nojo de quem questiona a homenagem prestada à Cabo PM que, heroicamente e com grande competência, reagiu ao assalto em frente a uma escola e em boa hora mandou o assaltante para o inferno, sem escalas e sem indulto de Dia das Mães para que ele pudesse matar um Delegado da Polícia Federal a poucos metros do Palácio dos Bandeirantes (sobre isso, por sinal, não haverá críticas). A função da PM é preventiva E repressiva; a letalidade depende das circunstâncias e, em situações limite, deve-se atirar para imobilizar o assaltante, o que implica eventualmente na morte deste; legítima defesa (como no caso da Cabo) ou estrito cumprimento do dever legal, quando em situações de perseguição e/ou tiroteio. O governador Márcio França acertou em cheio em homenagear uma policial que mostrou coragem e competência. Se isso vai ou não servir de exemplo para a tropa, é totalmente irrelevante; aliás, que sirva de exemplo, sim, da atuação repressiva que muitas vezes se faz necessária. Se isso levou à morte de um bandido que apontou armas para mães e crianças, era risco de quem abraçou o crime como meio de vida. Juridicamente, digo que que se tratou do que chamamos em Direito Civil de “risco atividade “. E, felizmente, morreu quem criou a situação de risco; morreu quem deveria ter morrido! Parabéns à PM!”

Vídeo

https://www.facebook.com/jornaldaregiao1/videos/1654817017965026/