Em 2018 faça a viagem dos seus sonhos! Aqui vão dicas gratuitas da Irlanda

Viajar não é sinônimo de ter dinheiro, mas sim, organização. Que tal em 2018 realizar aquele sonho de fazer uma viagem internacional? Comece colocando seus planos no papel, e veja que com um pouco de foco e controle dos gastos, é possível fazer sua viagem. Em algumas épocas do ano, roteiros brasileiros se tornam até mais caros que viagens ao exterior, mesmo em tempos de dólar em alta.

Outra dica importante é pesquisar tudo sobre o país que você deseja conhecer, desde o preço do transporte público ao Uber, e a média de gastos com alimentação. Ficar de olho nos sites das companhias aéreas também ajudam, e muito! Pode ser que você encontre aquela oferta imperdível que cabe no seu orçamento.

No ano passado visitei Dublin, na Irlanda, e hoje minha dica é de um roteiro super bacana para conhecer a cidade a pé, se em gastar nenhum euro. Diferente do que vemos no Brasil, boa parte das baladas na europa tem entrada gratuita, então, dá pra curtir bastante, gastando apenas com o que comer e beber. Mas, se tiver um tempinho de sobra, ainda recomendo a contração de um ônibus turístico para conhecer o  Powerscourt Garden, Wicklow & Glendalough, Cliffs of Moher, Malahide Castle e a Guinness StoreHouse, que ficam em cidades vizinhas. Com estes passeios gastará uma média de 90 €. Falarei deles em outro post para que entenda todos os atrativos desses locais.

Agora vamos às dicas:

Comece com uma caminhada pelo centro da cidade. Por lá há várias placas de localização e não tem como se perder. As ruas da capital Dublin são repletas de história. Desde as portas coloridas em homenagens a escritores irlandeses famosos, como Oscar Wilde e James Joyce, até o pub preferido de Bono Vox. Mas se você aprecia a beleza dos tempos medievais vai adorar visitar os  prédios históricos, como a universidade Trinity College e a St. Patrick’s Cathedral, sem perder o encanto dos parques locais. No fim da tarde, moradores se aglomeram nas gramas dos espaços para conversar, ler e namorar. O St. Stepenhen’s Green é um desses lugares cheio de vida. Além de descansar e apreciar a paisagem, é possível contemplar bons exemplos da arquitetura georgiana em volta do parque, estilo implantado após reordenamento urbano de Dublin.

Um bom ponto de partida para iniciar o tour é a Merrion Saquare. A praça tem cerca de cinco hectares de verde, flores e uma série de estátuas e ícones da história da Ilha Esmeralda. Entre os postes coloridos e de formatos diferentes, é possível se deparar com esculturas de personagens como Michael Collins, George Russell e a de Oscar Wilde, um dos nomes mais conhecidos na Irlanda pelo trabalho como poeta, escritor e dramaturgo.

E se durante o tour bater aquele cansaço, não se preocupe! Dublin tem um bom sistema de transporte público, inclusive com interação entre aeroporto e centro da cidade, e por apenas 3 € poderá cruzar a cidade. Quem escolhe a bicicleta também encontra facilidade para se locomover, existe um sistema de locação pelo banco Santander. Mas,  andar despretensiosamente é a melhor opção para conhecer os pontos históricos, apreciar os cafés e degustar cervejas ou sanduíches. Além disso, os irlandeses são muito amigáveis e simpáticos. Estão sempre prontos a ajudar, contar histórias e indicar pontos diferentes para turistas. Também se orgulham em apresentar as mais variadas bebidas típicas aos estrangeiros, então, não estranhe se for abordada por lá.

E vamos ao TOP 13 dos gratuitos e a pé:

  1. Abbey Theatre: Quem gosta de ir ao teatro (e domina bem o Inglês) vai ter uma série de oportunidades em Dublin, cidade que tem tradição nesse tipo de arte. Uma das casas de espetáculos mais famosas da cidade (talvez a mais conhecida delas) é o Abbey Theatre, o Teatro Nacional da Irlanda. O Abbey foi inaugurado em 1904 por W. B. Yeats e Lady.
  2. Avoca: A Avoca é uma marca irlandesa muito famosa, cheia de história e tradição, que fabrica e comercializa vários tipos de produtos há anos. Uma das lojas da marca espalhadas pelo país – a situada na Suffolk Street, em Dublin – impressiona pelo tamanho e também pela variedade de produtos vendidos como roupas.
  3. Bach 16: O Bach 16 é uma excelente opção de restaurante para aqueles que desejam experimentar algo diferente dos pubs de Dublin, sem gastar muito. O ambiente do local – que também é especializado em vinhos – é superaconchegante e os preços, bastante razoáveis.
  4. Croke Park – Etihad Skyline tour: Por mais de 100 anos o Croke Park tem sido a casa de esportes irlandeses amadores, verdadeiras paixões nacionais, como o Hurling e o Futebol Gaélico.
  5. Destilaria Jameson: Escócia, Estados Unidos, Japão e Irlanda. Os apaixonados por um bom uísque sabem que essa lista se refere a alguns dos melhores produtores mundiais da bebida. Bem, se você é um desses apreciadores, ao visitar a capital irlandesa não poderá perder o passeio pela Jameson.
  6. Dublin Zoo: A rotina de mais de 400 animais pode ser vista neste zoológico, um dos mais antigos e populares do mundo. Aberto pela primeira vez em 1831, o Dublin Zoo está localizado no famoso Phoenix Park, em uma área muito bem planejada de 28 hectares, habitat de girafas, gorilas, elefantes asiáticos, leões, tigres, entre outros animais.
  7. Grafton Street: Não importa quanto tempo você passe em Dublin, é provável que uma hora ou outra você acabe passando pela Grafton Street, um dos endereços mais famosos da capital irlandesa. Lojas de roupas, sapatos e acessórios, livros, artigos eletrônicos, além de alguns excelentes cafés e prédios históricos.
  8. Henry Street: Gosta de fazer umas comprinhas sem gastar os tubos? Então, a movimentada Henry Street – vizinha à O’Connell St. – deve ser uma de suas paradas obrigatórias na capital da Irlanda. Uma rua de pedestres vibrante e repleta de opções de lojas para todos os gostos, a exemplo da Arnotts, a maior loja de departamentos do país.
  9. Museu Nacional da Irlanda – Arqueologia: Vários objetos arqueológicos importantes, datados de 7000 a.C. até o século XX, compõem o acervo permanente do Museu Nacional de Arqueologia da Irlanda, uma das paradas obrigatórias em Dublin para os apaixonados por história geral.
  10. Parede do U2: No antigo endereço dos estúdios Windmill Lane, em Dublin, foram gravados grandes sucessos de bandas reconhecidas mundialmente, entre elas a irlandesa U2, liderada pelo vocalista Bono Vox. O endereço tornou-se um dos pontos turísticos mais famosos de Dublin (e local de peregrinação de fãs).
  11. Prisão Kilmainham: A cerca de 3,5km do centro de Dublin está um dos museus mais concorridos da cidade: Kilmainham Gaol, uma das maiores – e não ocupadas – prisões da Europa. Uma excelente oportunidade para os que desejam conhecer mais da história da Irlanda e, claro, não se importam em visitar um ambiente sombrio.
  12. The Brazen Head: Tradição é palavra de ordem no The Brazen Head, um pub irlandês que abriu as portas pela primeira vez em 1198 e se autointutula o mais antigo da cidade. “Apadrinhado” por gente muito famosa, como o escritor Jonathan Swift, de “As Viagens de Gulliver”, e os músicos Van Morrison e Garth Brooks.
  13. The Temple Bar: Criado em 1840, o tradicional The Temple Bar é o pub número 1 da lista dos que visitam a capital irlandesa. Como não poderia deixar de ser, a fórmula de sucesso do local é composta por “ingredientes” como ambiente tradicional, música irlandesa de qualidade – o bar foi considerado “a casa” da música.