Polícia abre inquérito contra o prefeito de Campo Limpo

O delegado da Delegacia Seccional de Polícia Civil de Jundiaí, Marco Antônio Ferreira Lopes, abriu nesta sexta-feira (24) um inquérito policial para apurar denúncia de dois crimes contra o prefeito de Campo Limpo Paulista, doutor Japim Andrade. O delegado recebeu mídia com gravação feita por ex-funcionário em cargo de comissão da Prefeitura acusando o prefeito de exigir que batesse no antigo diretor de Administração, que deixou o prédio carregando pasta com documentos.

O vice-prefeito, Aléssio Grandiz0li, ao assumir a Prefeitura após a cassação de Japim Andrade determinou à Guarda Municipal revista dos funcionários em comissão e acompanhamento dos secretários, na retirada dos documentos pessoais e materiais.

Dr Japim conseguiu na Justiça o retorno ao mandato como prefeito e também exigiu que fossem acompanhados os secretários do vice.

Na Polícia

O delegado Marco Antônio também oficiou o Ministério Público de Campo Limpo para verificar se há processo em andamento na esfera cível. Já a Câmara Municipal de Campo Limpo foi informada sobre a realização do inquérito criminal.

Caso o prefeito doutor Japim seja denunciado à Justiça, ele responderá processo pelo artigo 286 do Código Penal que é a incitação ao crime, com pena prevista de 3 a 6 meses de reclusão e o artigo 287, de apologia ao crime, que também tem a mesma pena.

“Vingança”

Assessores do prefeito Japim comentaram que o funcionário em cargo de comissão foi demitido porque agrediu um secretário anteriormente e. foi feito boletim de ocorrência com denúncia na Delegacia de Polícia Civil de Campo Limpo Paulista.

Como vingança esse funcionário fez “armação” contra o chefe do Executivo, que foi vítima de gravação.

Nesta semana os vereadores da cidade já tinham decidido pelo arquivamento da abertura do pedido de cassação do mandato do prefeito Japim, em decisão da maioria.

A investigação na Polícia Civil não tem prazo para ser concluída.