ADOÇÃO: Crianças de Cabreúva podem ter padrinho

Resgatar o direito de convivência familiar e comunitária de crianças e adolescentes acolhidos com remotas perspectivas de adoção ou retorno à família – esse é o objetivo do Apadrinhamento Afetivo. O padrinho/madrinha, voluntário que se dispõe a manter contato direto com o “afilhado”, pode sair com o jovem para atividades fora do abrigo, como passeios, festas de Natal, Páscoa etc.
Dessa forma, são vivenciadas experiências que auxiliam no processo de valorização da autoestima do acolhido. A iniciativa também busca reduzir o grau de vulnerabilidade de adolescentes, que, ao completarem 18 anos, saem dos abrigos sem qualquer referência externa familiar.

Cada uma das varas da Infância e da Juventude do Estado opta por implantar ou não os programas de apadrinhamento e define, por meio de portaria, as regras para a habilitação de um padrinho/madrinha. Mais de 65 comarcas no Estado já contam com esse trabalho. No início deste mês, Cabreúva também lançou seu programa.

O projeto “Semente do Amanhã”, apresentado no último dia 10, é direcionado a crianças e adolescentes entre sete e 17 anos, acolhidos na instituição Lar Cristão.

Para ser um padrinho/madrinha, é preciso ter idade mínima de 25 anos; residir em Cabreúva por mais de dois anos; ter diferença de idade de 16 anos com o apadrinhado; e não estar habilitado no cadastro de adoção.

As inscrições são no Setor Técnico do Fórum de Cabreúva e os interessados passam por uma avaliação social e psicológica, além de encontros preparatórios.

Fórum de Cabreúva
Rua Adhemar Clemente Nunes, 11 – Jacaré
Telefone (11) 4529-4050