Prefeitura inicia obras no Jardim Tulipas contra enchentes

A Unidade de Gestão de Infraestrutura e Serviços Públicos (UGISP) deu início, nesta semana, às obras para solucionar os problemas de enchentes no Jardim das Tulipas. No bairro serão construídas nova galeria pluvial e duas bacias de amortecimento d’água, ampliação de dique de contenção de chuvas além de limpeza e desassoreamento de trecho de 3,5 quilômetros do rio Jundiaí. A previsão de entrega é até o final deste ano.

As ações serão realizadas em etapas, sendo que, a construção de uma das bacias de amortecimento já começou.  “O padrão das chuvas mudou e o que havia sido dimensionado para uma capacidade de chuva, agora não comporta a quantidade de água em um curto espaço de tempo. A região baixa do Jardim Tulipas, às margens do rio Jundiaí, recebe toda a água da parte alta do bairro, o que significa 1,7 mil litros por segundo. As galerias não comportam. Parte da solução é a construção de uma nova galeria pluvial, de maior capacidade, que desembocará em uma bacia de amortecimento, no final da rua Vereador Pedro Ribeiro”,  explica o diretor de Obras da UGISP Ademir Pedro Victor.

Essa nova galeria substituirá algumas canalizações antigas, que possuem saída em 90°, direta no rio. Segundo o diretor, esse formato usado anteriormente permite que, durante as cheias, a água do rio Jundiaí retorne pela saída pluvial. “O correto é que seja feita inclinada, para que a força do rio acabe por puxar a água da galeria”, detalha. As novas galerias demandarão investimento de R$ 40 mil na aquisição das tubulações. A mão de obra será da prefeitura. A outra bacia de contenção será feita em área ao lado do rio. Nesse mesmo trecho será ampliado o dique já existente.

Segundo o diretor, as ações exigem o desassoreamento e limpeza do rio Jundiaí. O edital de chamamento de empresas interessadas será publicado ainda neste mês. O trabalho demanda a retirada e movimentação de aproximadamente 20 mil metros quadrados de areia e terra. “Será necessário retirar o excesso de areia e a adequação das margens do rio em um trecho de 3,5 quilômetros”, detalha.

Sofrimento

Moradora no bairro há 14 anos, Aline Silva Coutinho, passou por momentos de desespero no mês de março do ano passado. Por causa da chuva, sua casa foi uma das dezenas invadidas pela enchente do rio Jundiaí. “Perdi tudo o que tinha no primeiro andar de casa. Toda vez que chove é um sofrimento. Ficamos apreensivos com o que pode acontecer. Com as ações da prefeitura, esperamos que o problema seja solucionado de forma definitiva”, comenta.

%d blogueiros gostam disto: